Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 26 de maio por leandro

Tags:, ,

Bike integrada a outros meios de transporte

“A bicicleta é o meio de transporte mais utilizado no mundo”. Com esta frase, o músico David Byrne (ex-Talking Heads) inicia o seu livro, intitulado “Diários de Bicicleta“, no qual ele registrou as suas impressões ao pedalar por várias cidades pelo mundo.

Byrne cultivou o hábito de pedalar sempre que viajava em turnê com sua banda, levando consigo uma bike dobrável e conhecendo seu destino através das duas rodas, além de utilizar também a bike como seu meio de transporte em Nova York, cidade onde vive. Durante essas pedaladas, Byrne teve que combinar o uso a bike com outro meio de transporte disponível (trens, metrô etc.) para atingir o seu destino.

A este ato – combinar a bike com outro meio de transporte para se chegar a um destino – dá-se o nome de comutação mista. O objetivo da comutação mista é combinar os pontos fortes (e compensar as deficiências) das várias opções de transporte disponíveis.

E esta integração dos meios de transporte é a solução para o trânsito cada vez mais inviável das grandes metrópoles, em especial da América Latina, que é a região em desenvolvimento mais urbanizada do mundo. A integração reduz custos operacionais, além de aumentar muito a acessibilildade das cidades.

No exterior, em países e cidades em que a cultura da bike é mais presente, este tipo de comutação já é uma prática muito utilizada e, portanto, bem mais desenvolvida.

Para se ter uma idéia, o ciclista profissional Lance Armstrong abriu uma loja em Austin, no Texas, chamada Mellow Johnny’s, que é tão dedicada à comutação a ponto de contar com chuveiros e vestiários para serem utilizados pelos ciclistas. A loja conta ainda ainda com um bicicletário e armários de uso grátis para os “commuters“, aqueles que vão pedalando para o trabalho. A filosofia da loja é “Nossa paixão é servir a comunidade dos usuários de bike. Nossa missão é converter as pessoas a uma vida de bike” (“Our passion is serving the bike community. Our mission is converting people to a bike life”).

mellow Johnnys

No Brasil, a comutação ainda está em fase “beta”, usando a linguagem da internet. Na maioria das cidades ela inexiste. Em outras, ela ainda “engatinha”. E ainda é comum encontrar situações bizarras, como a que enfrentei recentemente quando o motorista de um ônibus se recusou a embarcar minha bike como bagagem na volta de uma viagem porque ela estava “suja demais”!

Atualmente, são registrados mais de 200 milhões de deslocamentos por dia nas cidades brasileiras, segundo levantamento da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) realizado em 2008. Cerca de metade desses deslocamentos é feita a pé ou de bicicleta. A outra metade corresponde às viagens feitas por veículos motorizados (carros, motos e transporte público). Se projetarmos o crescimento destes números para os próximos dez anos, chegaremos ao legítimo “apagão viário” no País.

Já dissemos por aqui que a distância ideal para ser percorrida de bike em sua integralidade é por volta de 7 quilômetros, e isto também depende do relevo encontrado no trecho a ser percorrido.

E como fazer com as distâncias acima de 7 km? A solução é combinar a bike com outro meio de transporte. Se pensarmos nas cidades grandes e médias, encontraremos trens, metrô e ônibus como opções. Esta integração da bike com outros meios de transporte pode ser dar de várias maneiras. Veja alguns exemplos:

- Posso ir de bike até uma estação de trem ou metrô, deixar minha bike em um bicicletário e prosseguir ao meu destino por meio do transporte coletivo;

- Posso ir de bike até uma estação de trem, metrô ou onibus e embarcar com a bicicleta. Ao descer do transporte público, posso continuar meu caminho de bike até meu destino final;

- Posso ter a minha disposição uma bike para ser utilizada por mim a partir da minha chegada na estação de trem/metrô de minha escolha, sendo que daí faço a comutação para esta bike e chego ao meu destino de bike.

Quando dependemos de transporte coletivo, as regras para os ciclistas costumam variar conforme a empresa a ser utilizada.

Com relação aos ônibus, podemos dividir os deslocamentos em três modalidades: municipais, intermunicipais e interestaduais.

A legislação brasileira é ambígua e cheia de lacunas no que diz respeito ao transporte de bicicletas em ônibus intermunicipais e interestaduais. É comum o uso de ônibus quando praticamos o cicloturismo, onde o ciclista geralmente chega ao seu destino pedalando e curtindo a viagem, retornando de ônibus e levando a bike na bagagem. Aqui a questão é completamente subjetiva, isto é, dependemos do humor e da disposição do motorista do ônibus. Se o motorista não quiser liberar a bike por causa de espaço ou do risco de alguma das partes da bike perfurar a mala de terceiros, o ideal é desmontar as rodas, baixar o selim e até embalá-la em plástico ou em alguma caixa de papelão. Aliás, existem hoje no mercado diversas opções de “mala bikes”, ideal para quem realiza muito este tipo de viagem.

Com relação aos ônibus municipais, muito recentemente temos assistido a iniciativas “piloto” interessantes, que incluem o uso de ônibus adaptado com bagageiros especiais para bikes. Esta é uma iniciativa que, apesar de ainda estar em testes, dá indícios de que pode ser promissora!

Se você pretende viajar para locais mais distantes com sua bike, fique atento! Em companhias aéreas, geralmente é cobrada uma taxa especial sobre “material esportivo”, que costuma ser bem alta! Recentemente, algumas companhias atentaram para o absurdo deste fato e flexibilizaram estas normas. De acordo com a Infraero, cada empresa possui seu próprio regulamento quanto as bagagens.

Com relação aos trens e e o sistema de metrô de São Paulo,temos percebido recenetemente algumas iniciativas que prometem integrar cada vez mais as bikes ao transporte público. A CMTP (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) tem realizado várias ações com as bikes, mas as três mais relevantes são:

- Bicicletários: “Os bicicletários estimulam os trabalhadores que moram relativamente perto das estações da CPTM a se locomover de bicicleta, deixando o equipamento guardado em segurança até a volta para casa”. – Veja mais informações

- Ciclista Cidadão: Nos finais de semana e feriados são permitidos o transporte do ciclista e sua bike em um vagão especialmente reservado para esta finalidade (somente será permitido o transporte de até 4 bikes por vagão). – Veja mais informações

- Ciclovia do Rio Pinheiros: Com 14 km em sua primeira fase, a Ciclovia Rio Pinheiros é uma alternativa para o deslocamento diário, além de opção de lazer, proporcionando uma vida mais saudável. – Veja mais informações

Por sua vez, a CMSP (Companhia do Metropolitano de São Paulo), que é a companhia que cuida do metrô paulistano, tem feito as seguintes ações:

- Bicicletários: No total, 15 estações oferecem o serviço de bicicletário ou aluguel de bicicletas. Em todas as estações que participam do projeto, estão disponíveis dez bicicletas para aluguel e dez vagas para estacionamento (paraciclos), com exceção dos locais de maior movimento, como Itaquera, Guilhermina e Carrão, onde são 90 espaços reservados para as bikes serem estacionadas. Ao todo, o projeto já conta com 636 vagas de paraciclos e 202 bikes disponíveis para locação na capital paulista. Saiba mais sobre os bicicletários no metrô de São Paulo. – Veja mais informações

- Ciclista Cidadão: Você pode transportar sua bike pelo sistema metroviário, sempre no último vagão do trem. Os horários para os ciclistas usarem o sistema aos finais de semana e feriados são: sábados, das 14h até o final da operação comercial (uma hora da manhã de domingo). Aos domingos e feriados, está garantido o acesso dos ciclistas durante todo o funcionamento do sistema: de 4h40 à meia-noite. Recentemente foi permitido o uso em dias de semana, após as 20:30. Torcemos para que a permissão seja estendida para todos os horários de funcionamento do metrô em breve. – Veja mais informações

- Empréstimo de bikes nos bicicletários: Para você usar o serviço de empréstimo de bikes nos bicicletários do Metrô, basta comparecer a um dos locais levando RG e CPF para efetuar o cadastro. No caso de empréstimo da bicicleta, também é necessário um cartão de crédito Visa, Mastercard ou Amex com um limite disponível de R$ 350 para pré-autorização e comprovante de residência. Na retirada da bicicleta, o cilcista receberá capacete e cadeado, podendo devolvê-los em outros bicicletários do sistema ou em uma das sete unidades da Rede Estapar participantes do programa UseBike, da Porto Seguro. – Veja mais informações

Estas ações do poder público ainda são tímidas, mas promissoras no sentido de facilitar a integração da bike aos outros meios de transporte. Em breve, a equipe do “Eu Vou de Bike” vai fazer um “test ride” de todos estes sistemas, postando nossas impressões e fotos de todo o processo.

Se você mora em outra cidade e conhece outras iniciativas, por favor, nos informe aqui nos comentários! Vamos todos colaborar no sentido de cada vez mais podermos usar nossas bikes como um meio de transporte eficaz!


Comentário

  • [...] This post was mentioned on Twitter by Fabiane Cruz, euvoudebike.com. euvoudebike.com said: Bom dia! Como você integra sua bike aos outros meios de transporte? Fizemos um post com algumas sugestões: http://bit.ly/a9hDhm [...]

    Tweets that mention Eu Vou de Bike » Bike integrada a outros meios de transporte — Topsy.com topsy.com/trackback?utm_source=pingback&utm_campaign=L2&url=euvoudebike.com/2010/05/bike-integrada-a-outros-meios-de-transporte
  • Excelente post, acredito que quanto melhor for a integração da bicicleta a outros meios de transporte mais as pessoas ficaram incentivadas a utilizar a bike.

    BIGSP bigsp.blogspot.com
  • [...] mobilidade urbana é uma das grandes questões desta década. Já falamos aqui sobre os benefícios da comutação, que é quando você usa sua bicicleta combinada a algum outro meio de transporte para chegar ao [...]

    Eu Vou de Bike » Como seria a bicicleta ideal para a cidade? euvoudebike.com/2010/06/como-seria-a-bicicleta-ideal-para-a-cidade
  • [...] falamos aqui que, além de grande opção de lazer, a bicicleta é um meio de transporte muito importante, [...]

    Eu Vou de Bike – Bicicletas, Lazer e Transporte Urbano » Bicicletas para jovens de escolas rurais euvoudebike.com/2010/06/bicicletas-para-jovens-de-escolas-rurais
  • [...] podem ser retiradas e devolvidas em qualquer estação espalhada pela cidade, o que facilita a comutação entre diferentes meios de transporte – Leia na íntegra (em [...]

    Eu Vou de Bike – Bicicletas, Lazer e Transporte Urbano » A semana das bicicletas nos blogs euvoudebike.com/2010/06/a-semana-das-bicicletas-nos-blogs-2
  • [...] líder da banda Talking Heads, é um ávido ativista da bicicleta como meio de transporte. Como já mencionamos, Byrne cultivou o hábito de pedalar sempre que viajava em turnê com sua banda, levando consigo [...]

    Eu Vou de Bike – Bicicletas, Lazer e Transporte Urbano » David Byrne sobre duas rodas em NY euvoudebike.com/2010/07/david-byrne-sobre-duas-rodas-em-ny
  • [...] também exibe a localização das estações de metrô e ônibus da cidade, fazendo com que a comutação seja muito mais [...]

    Eu Vou de Bike – Bicicletas, Lazer e Transporte Urbano » Realidade aumentada a serviço da bike euvoudebike.com/2010/08/realidade-aumentada-a-servico-da-bike
  • ola boa tarde pessoal, eu sou um usuario da bicicleta e dos trens e metros também, e gostaria muito de poder utilizar a bike tanto nos trens e metro da CPTM quanto nos onibus, facilitaria muito a minha vida que sou usuario desse meio de transporte primitivo e tão ecologicamente correto, valeu ai adorei o blog muito bom, Parabéns!!!

    raphabikers aindanãotenho
  • [...] usar a bicicleta como meio de transporte, é necessário que a administração pública facilite o uso combinado da bike com outras formas de transporte, como o ônibus, metrô e [...]

    Eu Vou de Bike – Bicicletas, Lazer e Transporte Urbano » Tendências para a bicicleta como meio de transporte euvoudebike.com/2010/09/tendencias-para-a-bicicleta-como-meio-de-transporte
  • as biki sao fabricada na onde e por quem?

    lucas myname@example
  • omde que foi fabricadas bikis

    lucas paulose91@hotmail.com
  • [...] as bicicletas são vermelhas e amarelas, e estão presentes em quase todos os locais, com grande possibilidade de comutação com outros meios de transporte, tais como trens, metros, ônibus, e até mesmo balsas. Estes [...]

    Eu Vou de Bike – Bicicletas, Lazer e Transporte Urbano » Amsterdã, capital mundial da bicicleta euvoudebike.com/2010/11/amsterda-capital-mundial-da-bicicleta
  • [...] as bicicletas são vermelhas e amarelas, e estão presentes em quase todos os locais, com grande possibilidade de comutação com outros meios de transporte, tais como trens, metros, ônibus, e até mesmo balsas. Estes [...]

    Site do Bareta» » Amsterdã, capital mundial da bicicleta sitedobareta.com/mundo/amsterda-capital-mundial-da-bicicleta-23-11-2010
  • Muito legal este post, de verdade…eu acho que ele deveria sair das paginas da net e ir para os ”outdoors” que atualmente lotam de poluicao visual as ja poluidas marginais da nossa capital, atualmente eu moro nos Estados Unidos e em Washington sistemas como o onibus da foto funcionam muito bem, o legal e que aqui tem ciclovia em quase todas as vias expressas muito bem sinalizadas e onde o ciclista e respeitado como deveria ser em todo o mundo, estou falando de andar de bike de segunda a sexta por essas vias, porque nos fins de semana se voce quiser voce nunca repete uma trilha tirando fotos maravilhosas e conhecendo um pouco mais da historia do pais, ja que muitas delas passam por monumentos e lugares historicos. muito legal mesmo, que tiver a oportunidade de vir e conferir pessoalmente o que falo vai se apaixonar mais ainda pela bike e tera uma vida muito mais saudavel. Forte abraco DEUS abencoe a todos.

    Alex
  • [...] Lógico que ela pode ser utilizada em distâncias maiores, como também pode ser utilizada comutada com outros meios de transporte, tais como ônibus, trens, metrôs, e até [...]

    Eu Vou de Bike – Bicicletas, Lazer e Transporte Urbano » Características de uma bicicleta urbana euvoudebike.com/2011/03/caracteristicas-de-uma-bicicleta-urbana
  • Eu estou oferecendo a todos o melhor de meu conhecimento e para a sua satisfação
    Tudo bem, vai dar o empréstimo de todos os tipos de uma forma muito rápida e fácil, vai oferecerempréstimo para todos os indivíduos, empresas e sociedade que estão em necessidade de financeiraassistência em uma baixa taxa de juros de 3%
    universalloanlenders@hotmail.com

    Dr chris
  • [...] a maioria já sabe, o metrô de São Paulo é “cicloamigável” e dispõe de algumas regras para a utilização da bicicleta. Porém, no nosso caso, nosso compromisso estava fora do horário permitido para transporte das [...]

    Bicicletas dobráveis: um dia você ainda vai ter uma! | Biciklo biciklo.com.br/bicicletas-dobraveis-um-dia-voce-ainda-vai-ter-uma

Comente Você Também

Para publicar seus comentários aqui com seu Avatar, cadastre-se no: