Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 2 de maio por Eu Vou de Bike

Tags:, , , , , ,

A polêmica das ciclovias e ciclofaixas

O blog chileno Ciudad Ciclista fez um post muito interessante (e um tanto polêmico) defendendo o fim das ciclofaixas e ciclovias nas cidades. Segundo o blog, não é benéfico para ciclistas, pedestres e motoristas segregar as bicicletas do resto do sistema viário da cidade.

Em um vídeo publicado no post, os autores do blog mostram situações em que a ciclovia segregada atrapalha ou até causa riscos de segurança. Assista abaixo:

O blog defende que os ciclistas devem usar as ruas, assim como todos os carros, para pedalar até o trabalho, a escola ou qualquer outro trajeto. “A possibilidade do ciclista conduzir sua bicicleta de forma idependente, segura e responsável é prioridade acima de qualquer tipo de infraestrutura e é um dos pilares de qualquer política para promover a bicicleta como meio de transporte eficiente”, diz o site.

O tema é polêmico. É fato que não dá para esperar que os ciclistas ‘apenas’ usem as ciclovias e ciclofaixas para se locomover. É impossível criar essa infraestrutura por todas as ruas da cidade. Portanto, quem vai de bicicleta pode e deve compartilhar a pista com os carros.

Mas, por outro lado, ciclovias e ciclofaixas são importantes para o ciclista iniciante ter mais confiança para pedalar na cidade e também podem ser muito úteis para acompanhar vias expressas e muito movimentadas, que colocariam em risco o ciclista.

O que você acha sobre o assunto? Deixe seu comentário!


Comentário

  • considero adequado que as faixas para ciclistas e para carros e motos sejam integradas. para isso, seria necessária muita educação de todas as partes, e funcionaria, eu acho. agora, para as vias expressas não há escolha: o trânsito é mais veloz e tenso, precisamos de uma via lateral para bicicletas.

    gilvas gilvas.wordpress.com
  • Ciclofaixas e ciclovias são a segregação do ciclista, devem ser instaladas como apoio e incentivo; não como algo prioritário. A prioridade deve ser a convivência da bicicleta com os automóveis e o respeito de um com o outro. Concordo com o “gilvas” aí em cima.

    João Bergamo
  • Acredito que, acima de tudo, é importante a educação das pessoas. Tanto de motoristas, para aprender a conviver com bicicletas no trânsito, a ter paciência, a saber como se comportar ao deparar com uma bicicleta na via; como ciclistas, para entender que a bicicleta, ao circular pela cidade, deve obedecer a regras assim como os veículos motorizados (não furar farol vermelho, circular pela via e não pela calçada, manter-se a direita etc).

    Acho que isso é o ponto mais crucial na questão, pois acho que torna as ciclovias necessárias APENAS em vias expressas ou locais onde a circulação de ciclistas seja muito perigosa.

    Além de ser mais barato e mais duradouro gastar com campanhas de conscientização e educação do que com concreto.

    Carolina La Terza
  • Sou a favor do compartilhamento das ruas entre carros e bicis. Para isso, como medida educativa, a CET deveria espalhar placas nas ruas reafirmando o direito do ciclista de pedalar nelas.

    Ciclovias somente em vias expressas, como por exemplo, em SP, as Marginais e os corredores norte-sul e leste-oeste. Só.

    Rafael
  • [Considerando o comentário de Gilvas] Funcionaria sim, se tudo fosse lindo e maravilhoso… mas mostrar apenas um ciclista trafegando entre os carros, fora da ciclo via somente para sustentar a defesa é sacanagem! claro que tem horas q é preciso realmente sair da ciclovia, ciclofaixa e se aventurar entre os carros… mas não se compara o nível de tranquilidade em uma com a outra… e isso, o vídeo não mostrou! ande entre os carros curtindo o passeio, ande entre onibus aqui em Macapá, um dos lugares mais difíceis dos país para se dirigir… cada cidade é um caso e deve ser analisada! fica minha opnião…

    Otávio Augusto Pereira Tavares
  • Olá,

    que em sua maioria publicados neste blog são da Espanha.

    citações na entrada também descreve os critérios de qualidade a ser seguido para construir ciclovias na cidade. Que é de muito interesse devido às ciclovias segregadas desastrosa e estreito.

    O documento foi escrito pela associação de ciclistas urbanos Granada (Espanha) “Biciescuela Granada”
    http://biciescuelagranada.blogspot.com/2008/12/criterios-de-calidad-para-una-via.html

    Perdoe a minha Português traduzido pelo Google

    Saudações e obrigado

    Juan Carlos I
  • Em Belém do Pará, as ciclofaixas ou ciclovias alem de não serem interligadas, são tão mal feitas que se transformam em verdadeiras armadilhas para os ciclistas. A falta de manutenção o desrespeito tornam vulneráveis trabalhadores que diariamente trafegam pela cidade. Ciclovias estreitas demais, situadas no meio de largas avenidas, cercadas sem oferecer acesso, com canteiros e arvores só atrapalham os ciclistas. Semana passada um trabalhador ciclista foi atropelado por um caminhão ao cair da ciclovia para dentro da pista. Um absurdo.

    Luiz Paulo Jacob
  • Da mesma forma e situação é aqui em Mossoró – RN mal elaboradas ñ tem manutenção e se torna impossível de se trafegar e se o cilcista vou se envolver junto aos carros e buzinadas e muito mais no juizo do ciclista isso pra uma ciclista novato de rua ele entra em panico !!

    raphaelzin
  • Concordo com o Rafael, qto a sinalização e ciclovias nas expressas, adicionando educação e respeito, já resolveriam uma boa porcentagem pra segurança de todos! Acho possível pedalar em sampa COMPARTILHANDO as ruas.

    Ter uma sinalização na faixa da direita por exemplo, indicando que naquela faixa bicicleta também passa, já ajudaria MUITO! ao meu ver! =)

    grace
  • Para lazer, sou a favor de ciclovias e ciclofaixas.

    Mas no dia-a-dia, acho q não resolvem muito.

    Sempre será necessário ‘fugir’ para as ruas, quando a ciclovia acaba ou não segue a direção desejada.

    Morando no Japão, pude ver bicicletas e carros trafegando juntos, sem necessidade de ciclovias ou ciclofaixas.

    E se falta educação no trânsito, o jeito é resolver com punições severas, tanto para motoristas, quanto para ciclistas.

    Itiro
  • A questão não é ser impossível criar infraestrutura ciclística por todas as ruas da cidade. A questão é que seria idiotice criar infraestrutura ciclística por todas as ruas da cidade, assim como seria idiotice fazer corredores de ônibus em todas as ruas com coletivos, ou metrô em todos os quarteirões, ou passarelas de pedestres nas ruazinhas de bairro.

    Isso seria replicar a estrutura de vias urbanas para todos os modais em todos os lugares. É uma ideia idiota porque é inaplicável, de custo alto e ineficiente. Porém, mais do que tudo isso, é uma ideia oposta ao próprio sentido da cidade.

    Na cidade, tudo é compartilhado, da água às árvores, dos impostos ao governo. Democracia e vida em comunidade não significa dar um pedacinho de espaço para cada um. Significa aprender a compartilhar e alocar o que temos de maneira inteligente.

    As vias urbanas têm hierarquia, das mais estreitas, lentas e locais, às mais largas, rápidas e expressas. Isso foi pensado na forma de usar o carro, e também na forma das pessoas (não os carros, eles são só uma ferramenta) usarem as ruas. Da mesma maneira, quem anda de coletivo, bicicleta, trem, patins, skate, à pé, faz usos diferentes de ruas diferentes. Não se enfia à pé (ou não se deveria) na frente de carros a 80km/h, assim como não se dirige (ou não se deveria) na mesma velocidade numa rua residencial pequena.

    Logo, ciclovias e ciclofaixas são úteis em alguns trechos assim como avenidas e vias expressas são úteis em determinados locais e totalmente dispensáveis em outros. Elas não adiantam nada se o princípio básico de uso da via pública não for ensinado, respeitado e cobrado: todo cidadão tem direito de sair da porta de casa e voltar a ela do modo que bem entender, motorizado ou não.

    Um exemplo de que esse princípio é desproporcional para carros ou bicicletas. É natural uma política cicloviária não dar a mínima para o trecho que o ciclista cobre entre a porta de casa e a ciclovia (ou o que seja) mais próxima. Mas é totalmente impensável que alguém não planeje uma rua para automóveis de porta a porta. É essa desproporcionalidade que deve mudar.

    Pedro
  • Nossas cidades precisam urgentemente de mais humanização, independentemente do fomento à bicicleta. O excesso de carros e outros veículos motorizados, a atitude agressiva e de desrespeito à vida geralmente adotada pelos motoristas é que devem ser combatidas primordialmente. A cidade, as pessoas e obviamente também os ciclistas só têm a ganhar com isso. Nesse cenário, as ciclofaixas e ciclovias seriam cada vez mais dispensáveis.

    tabach twitter.com/dtabach
  • Tudo depende muito da cidade, e de como são as ciclovias e ciclofaixas. É verdade que em primeiro lugar todos devem saber que o ciclista tem preferência na pista, logo deve ser respeitado. Isso é mais importante do que vias só para ciclistas.

    Mas deve-se considerar que todas as grandes cidades que têm a bicicleta como um dos principais meio de transporte tem ciclofaixas e ciclovias (Amsterdam e Copenhagen, por exemplo). Não sei por que na América Latina seria diferente, visto que mudar o comportamento agressivo dos motoristas leva gerações.

    Melissa
  • isso é uma merda :P

    laura lalamalo2011@hotmail.com
  • isso e bem legal por que as pessoas vao se concientizar mais rapido

    juninho novais
  • oie

    lidia.gabhi lidiaamor
  • acredito eu que para que os ciclistas andem como todos os carro em ruas.. nao so os ciclistas mais tambem os motorista tem de ter responsabilidade. por que na minha opiniao nao basta um querer se o outro agir

    Rafahh rafahhferreira
  • Interessante ! Condordoo”

    wendel
  • muito interessante

    lucas
  • muito legal

    lucas
  • aaaaaaaaaaa eu acho uma merda

    ilderraldo
  • adoreiii

    carla facebook
  • um lixo

    marc
  • lesgasl

    quakquer un
  • achei muito interessante

    e
  • muito baaaaaaaaaaaaaaooooooooooooooooooo

    anonimo
  • uma bbbbbbbbbbbboooostaaaaaaa

    lucas facebook
  • achei muito interessante

    rebekaa
  • Aaaaaaaaahhhh Eu não fuumo … :D :3

    Jovellino Juvenal Campos
  • aaaaaaaaaaaaah eu nããããããããoooooooo ffffffummmmmmmmmmmmmo

    lucas
  • eu acho q as ciclovias ajuda ,pois com as ciclovias o índice de acidentes diminuiu muito.

    jhefersonhsleal endinho.spfc@hotmail
  • muita merda

    ha va minimundo
  • que legal esse assunto !!!!!!

    marc
  • entretanto eu não gostei !!!!!

    marc
  • ssssssssssssssoooooooooouuu VIADO aaaaaaaaaasssssssssssssuuuummmmmmmmiiiiiidooooooooo

    marc
  • ssssssssssssssoooooooooouuu VIADO aaaaaaaaaasssssssssssssuuuummmmmmmmiiiiiidooooooooo foi muito dificil contar pro meu pai pra minha mãe mas deu noque deu fui espulso de casa fui morar com meus avós.diz o livro de carlos drumond quando a gente ama não inporta a sexualidade mamae sou gay

    marc
  • ssssssssssssssoooooooooouuu VIADO aaaaaaaaaasssssssssssssuuuummmmmmmmiiiiiidooooooooo foi muito dificil contar pro meu pai pra minha mãe mas deu noque deu fui espulso de casa fui morar com meus avós.diz o livro de carlos drumond quando a gente ama não inporta a sexualidade mamae sou gay

    partiu parada gay

    marcos antonio facebook
  • minha opiniao é que ha .. seila

    bruna
  • aiiii eu nao gostei porque eu nao so desse negosio flwzinha

    marcos antonio de araujo de souza
  • sou gorda heudjzhdjhs

    coco fidido

Comente Você Também

Para publicar seus comentários aqui com seu Avatar, cadastre-se no: