Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 19 de setembro por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

Saiba mais sobre o serviço de bike courier em SP

Em 1986, o personagem de Kevin Bacon no filme ‘Quicksilver’, após uma catastrófica carreira na bolsa de valores, perde todo o seu dinheiro em um negócio arriscado e decide mudar de profissão. Falido e desiludido, ele larga tudo e vira um entregador da Kurtzweill’s Quicksilver Express Co, uma empresa que faz suas entregas por meio de bicicletas.

Populariza-se, então, o conhecimento sobre uma profissão antiga, mas ainda relativamente desconhecida: o bike courier, ou bike messenger.

Veja o trailer de ‘Quicksilver’ abaixo:

 

Dizemos que a profissão do bike messenger é antiga porque, por volta de 1860, quase imediatamente após a invenção dos primeiros velocípedes a pedal, as pessoas começaram a usar a bicicleta para fins de entrega. Relatos históricos apontam a utilização dos mensageiros ciclistas em Paris (1870), Nova York e São Francisco, cidades até hoje referência nesta modalidade, juntamente com Londres nos tempos atuais.

Aqui no Brasil, especificamente em São Paulo, começam a surgir várias empresas que oferecem este tipo de modalidade de entrega. Para conhecer mais sobre o assunto, nós fomos visitar a recém criada Giro Courier, com sede na Vila Olímpia.

Conversamos com um dos sócios, o Paulo Zapella, que trabalhava como designer gráfico em uma agência de publicidade e, devido a paixão pelas duas rodas, decidiu abandonar uma carreira tradicional não por uma simples oportunidade de negócios, mas por acreditar na bicicleta como potencial ferramenta transformadora da sociedade.

Veja a entrevista abaixo:

EVDB: Paulo, qual a vantagem do bike courier em relação ao motoboy?

Paulo: A primeira grande vantagem é o tempo da entrega, apesar do mito existente em torno desta afirmação. Antes de iniciarmos a empresa, nós fizemos uma pesquisa informal e percebemos que muita gente tinha uma visão distorcida com relação ao tempo de entrega, achando que na maioria dos casos a entrega de bicicleta demoraria muito mais que moto. Por causa deste conceito, nós estamos utilizando na divulgação do nosso serviço números do Desafio Intermodal, que por três anos foi vencido pela bicicleta, e mesmo quando foi vencido pela moto (duas vezes), as diferenças foram irrelevantes.

Nós nos preocupamos mais com a questão do tempo de entrega, pois consideramos que a vantagem com relação a sustentabilidade e ao meio ambiente é nítida e óbvia, pois temos dados que dizem que a moto é um dos veículos mais poluentes, mais do que os automóveis até, e a bicicleta é praticamente ‘carbon free’. E esta é uma preocupação muito forte em nossos dias.

Para termos esta eficiência, nossa área de trabalho é limitada, ficando restrita basicamente ao centro expandido de São Paulo. Observamos que nesta área a bicicleta consegue ter uma vantagem sobre a moto, pois com o trânsito pesado que temos acompanhando, muitas vezes até a moto acaba ficando travada no meio do congestionamento. Além disso, em prédios comerciais muito grandes, muitas vezes o motoboy perde um grande tempo somente para estacionar a moto. A bicicleta pode ser estacionada em quase qualquer espaço, ganhando muito tempo para o profissional, e consequentemente, para a entrega.

EVDB: Em distâncias longas, o courier é viável?

Paulo: Sim, nós aqui temos um raio de aproximadamente 15 quilômetros, pois nossos profissionais são treinados para grandes distâncias, chegando a pedalar entre 60 e 100 km todos os dias, independente do clima.

Logicamente que esta nossa vantagem sobre a moto vai se perdendo conforme a distância vai aumentando. Ou seja, numa distância menor, a bicicleta na maioria dos casos será mais eficiente, sendo que esta eficiência diminui na medida em que a quilometragem aumenta. Por isto que nós nos preocupamos em limitar a nossa área de atuação.


Escritório da Giro Courier

EVDB: Como está a demanda por este tipo de serviço? As pessoas já confiam?

Paulo: A demanda está em alta, apesar de ainda haver um certo ‘medo’ das pessoas em utilizar este tipo de serviço. O primeiro medo é de não ser uma coisa eficiente, pois as pessoas têm pressa na maior parte dos casos, inclusive ontem, por exemplo, a gente pegou uma entrega onde o ciclista iria coletar aqui no bairro do Itaim, e levar no Centro, na Liberdade, e a moça solicitante do serviço queria saber se ele iria conseguir fazer isto em menos de três horas! Então, muita gente que não anda de bicicleta não tem noção. Quando eu falei para esta moça que em 30 minutos ele fazia ela ficou atônita e me perguntou: “Como assim”?

Então nós queremos tentar educar as pessoas no sentido de que esta atividade não é como elas imaginam.

Muitos ainda consideram esta atividade muito perigosa. Quando somos questionados neste sentido, nós apresentamos os números dos acidentes envolvendo os motoboys, onde infelizmente, todo dia temos uma morte em São Paulo…Se você for pensar nisto, é uma questão mais complicada. E nós sabemos que quanto mais bicicletas tivermos na rua, menos perigoso fica.

Agora, em relação a receptividade da idéia em si, todo mundo acha legal! Afinal, todo mundo quer ter o ‘selo verde’, porém muitos querem ter desde que isto não comprometa outras coisas… Quando as pessoas entenderem melhor como funciona a bicicleta na cidade, vai ser mais viável nosso trabalho.

EVDB: Existem muitos courriers em São Paulo? Há mercado para esse novo tipo de profissional?

Paulo: Eu não me lembro onde vi uma matéria falando sobre 2.500 mensageiros. Eu acho este número irreal. Provavelmente, esta estatística computou muitos entregadores de restaurantes, padarias e farmácias, por exemplo, que na verdade não podem ser considerados bikes couriers, pois normalmente são entregas mais curtas, quase sempre só no bairro, realizadas por funcionários do estabelecimento, não especializados, que andam as vezes, sobre as calçadas, em ritmo lento e sem capacetes…

Empresas especializadas mesmo temos poucas. Temos muitas na informalidade, não tão profissionais, sem site, sem email, operando somente com telefones… Este é um mercado novo, ainda com a mão de obra especializada um pouco escassa, mas com muito futuro!


Comentário

  • ano que vem o filme “Premium Rush” será lançado, sobre bike messengers tbm!!!

    samara
  • em Porto Alegre temos a Pedal Express
    http://www.pedalexpress.com.br/
    e eles são bons no que fazem
    valeu

    mandras
  • Legal, Mandras. Poderíamos usar este espaço p/ indicar outras agências de bike courier. Vocês conhecem outras? Deixem por aqui que organizamos um “listão”.

    Abs

    gugamachado

Comente Você Também

Para publicar seus comentários aqui com seu Avatar, cadastre-se no: