Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 29 de novembro por Eu Vou de Bike

Tags:, , , ,

A importância da Ciclofaixa de Lazer de SP: ela vai muito além do lazer…


Milhares de pessoas usam a ciclofaixa todas as semanas!

Estamos em um momento crucial no que concerne a inserção da bicicleta no cotidiano da cidade de São Paulo, e agora é hora de tomarmos uma posição para rebater algumas coisas que temos ouvido e lido por aí. A grande polêmica da semana é a reportagem da Folha de S. Paulo desta segunda, 26 de novembro, que relata a “irritação” dos motoristas em relação à Ciclofaixa de Lazer de São Paulo, que opera na cidade aos domingos e feriados.

Segundo a reportagem da Folha, “os motoristas têm ficado ainda mais irritados” com a diminuição da velocidade nas vias em que a ciclofaixa funciona. “Eles fecham ruas e tiram uma faixa nossa. Isso enche o saco”, disse um dos entrevistados. Na mesma reportagem, a maior parte dos comentários é ainda mais agressiva em relação aos ciclistas e à ciclofaixa.

Após essas críticas repercutirem na internet, mais especificamente nas redes sociais, sentimos a necessidade de levantar alguns argumentos que mostram a importância da Ciclofaixa de Lazer para os cidadãos e para a cidade de São Paulo.

1 – A ciclofaixa é um meio de lazer democrático
A Ciclofaixa de Lazer já recebeu mais de 1 milhão de pessoas durante sua existência, e é uma das diversões mais democráticas da cidade de São Paulo aos fins de semana. Não é necessário pagar para pedalar e a ciclofaixa recebe pessoas das mais variadas idades, classes sociais e regiões da cidade.

2 – A ciclofaixa insere a bicicleta na paisagem urbana
Durante a semana, as bicicletas ficam ‘escondidas’ no meio dos carros e ônibus que circulam pela capital. Aos domingos e feriados, a bicicleta é onipresente e é um ótimo incentivo para quem ainda não pedala começar a pensar em pedalar. Além disso, a ciclofaixa aumenta a percepção dos motoristas sobre a importância da bicicleta na cidade.

3 – A ciclofaixa é a porta de entrada para milhares de ciclistas
Milhares de pessoas que pedalam com frequência atualmente na cidade de São Paulo começaram a usar a bicicleta na ciclofaixa. O uso da ciclofaixa serve de incentivo para novos ciclistas e aumenta a confiança das pessoas que nunca pedalaram nas ruas.

4 – A ciclofaixa incentiva o exercício físico e o comércio de rua
Em uma cidade tão carente de espaços para a prática de exercícios físicos, como parques e praças, a ciclofaixa se torna em um grande atrativo para quem quer queimar calorias e ter uma vida mais saudável. E, além disso, o comércio de rua e os bares e restaurantes que se encontram no percurso da ciclofaixa viram um aumento no número de consumidores aos domingos por conta dos ciclistas que por ali pedalam

5 – A ciclofaixa é um ponto de partida, e não de chegada
Uma das maiores críticas à ciclofaixa vem dos próprios ciclistas mais experientes ou mais ativistas. Segundo esses ciclistas, a ciclofaixa é apenas uma alegoria que tira o foco de coisas mais sérias, como a construção de ciclovias e ciclofaixas permanentes. Nós discordamos. Por todos os pontos citados acima, entendemos que a ciclofaixa de lazer é uma iniciativa que está mudando a mentalidade dos paulistanos aos poucos, semeando uma ideia que ainda vai render muitos frutos em um futuro próximo.

Você se lembra de como era a cidade três anos atrás? Então, muita coisa mudou de lá para cá, e a ciclofaixa de lazer teve um papel muito importante nessa mudança. Com sua ampliação cada vez mais agressiva, poderemos começar a pensar na instalação de ciclovias permanentes em algumas vias, o que seria mais um grande avanço para a cidade de São Paulo.

Aqui vale um parênteses para relembrar a história de Amsterdã, na Holanda.

A Holanda é um dos países mais povoados do mundo, com mais de 450 habitantes por quilômetro quadrado! Imagine se o sistema de transporte deste país fosse baseado em veículos motores, ou principalmente em automóveis, como acontece aqui no Brasil. Certamente eles já teriam chegado a um enorme colapso de trânsito, sem contar a questão ambiental!

Mas por que eles não tiveram um “apagão viário”? Porque há muitos anos, a Holanda, e mais especificamente a capital Amsterdã, concentra seu sistema de transporte nas bicicletas, uma das maiores invenções da humanidade.

Sendo a Holanda ainda um país de baixa altitude, sem grandes relevos, com políticas de incentivo governamentais para o uso da bicicleta bastante consistentes, bem como com uma situação na qual um holandês típico não mora a mais de 6 ou 7 quilômetros de seu trabalho e/ou escola, ao longo do tempo foi-se formando uma verdadeira “ciclocivilização”. Já imaginou?

Hoje, praticamente metade da população de Amsterdã realiza seus deslocamentos com uma bicicleta. Sim, você leu corretamente: 50% da população! São mais de 20 mil quilômetros de ciclovias espalhadas pelo país. Para se ter uma idéia, o estacionamento de bicicletas da Estação Central de Amsterdã comporta mais de 8 mil delas! E eles já estão até tendo problemas de congestionamentos de bicicletas e falta de espaço para estacionar as bikes!

Lógico que não podemos dormir como São Paulo e acordar como Amsterdã. Porém, nunca estivemos tanto no caminho como antes.

E, por fim, para quem acha que a ciclofaixa “fecha a rua e tira uma faixa nossa”, como disse o motorista na reportagem da Folha, é sempre bom lembrar que a via deve ser compartilhada por todos, e a bicicleta é um veículo reconhecido no Código de Trânsito Brasileiro.

E, no fim das contas, não é a ciclofaixa que causa trânsito, né? O vídeo abaixo mostra isso muito bem…

Vamos ter um pouco mais de civilidade, vamos conviver em harmonia compartilhando as vias para um futuro muito melhor para a nossa cidade!


Comentário

  • Estou trocando de emprego, vou para um escritório na Avenida Berrini (perto da Rua Taperoá). A princípio fica tranquilo para mim ir de bike, mas como sou novato, gostaria de saber se alguém já faz esse trajeto.

    Obrigado

    Rubens
  • No Brasil, tudo vira disputa entre A contra B. No transito, são os motoristas contra todos (ou todos contra os motoristas, na visão deles). O que nao anda movido a gasolina, é estorvo, um inseto a ser esmagado.
    Mal sabem os motoristas de SP que se nao fosse a ciclofaixa tirando o espaço deles, seria uma fila enorme de carros. Então, é preferível q sejam várias bicicletas. E tomara que seja cada vez mais, pois de alguma forma a cultura da bicicleta deve ser inserida na cabeça do brasileiro de uma vez por todas, não dá mais pra adiar. O problema é cultural (carro=status e cada vez mais tem gente tendo acesso a esse status, e disso nao abrem mão) e mudar isso tem que ser desde cedo.

    veronica
  • Eu acho que essas pessoas que estão reclamando deveriam, pelo menos uma vez, experimentar a ciclo faixa. Eu tenho 52 anos pedalo desde que a ciclo faixa foi inaugurada e não existe coisa mais gostosa que vc terminar o dia de domingo exausta por ter pedalado quase 50 km. Além do que, acabamos por prestar mais atenção na paisagem, fazemos novas amizades e, principalmente, ficamos com nossa saúde em dia. VEM PRA CICLO FAIXA VC TAMBÉM!!! :)

    Cristina
  • Ando de bike há uns 6 mese e enfrento o trânsito da cidade para chegar ao local de trabalho. Saio da Vila Leopoldina e vou até à Liberdade (demoro mais ou menos 1h30) e vejo de tudo: motoristas que apóiam e odeiam ciclistas, ciclistas que andam de forma incorreta pelas vias, guerra entre ciclistas e motoboys, etc.
    De modo geral, as pessoas não conseguem ver os benefícios da bicicleta, mas ela é a grande chave para uma mudança de atitude (de qualidade de vida) e do trânsito da cidade.
    Cada motorista que deixa de usar seu carro contribui para que o fluxo de transporte público seja mais rápido. Menos carros ocuparão as vias. Um carro ocupa o espaço de 8 bicicletas! Mas não! A “cultura do carro” é a causa de tudo isso! Governos também não estão isentos desse problema, acho que têm contribuído para tal. Infelizmente, remediar faz parte da nossa cultura.
    As pessoas dizem que não andam de bike porque tem medo de morrer. Um absurdo! A partir do momento que você sai de casa, assume o risco de passar por algum acidente, seja pegando um ônibus, avião, moto, até mesmo o carro.
    É preciso mais que atitude. A rua tem espaço para todos, é preciso respeitar!

    Nanah Kamaki mondosupernova.com
  • CICLOFAIXA = TRAJETO SUSTENTÁVEL Trajetos de compartilhamento humano e modais leves… Trajetos de desenvolvimento sustentável das cidades… Trajetos de fomento às ciclovias… Trajetos de espaço público da família e amigos, afinal, de quem é a cidade… mazelas… Por que construímos cidades ? Novos conceitos de mobilidade são urgentes, inclusive o compartilhamento com o modal original humano, o pedestre e corredores… patins, skate, e muitas novidades tecnológicas, uma geração que resolveu viver ! CONVIVA !

    Eduardo Merheje
  • Muito boa reportagem…
    Concordo que a mudança de consciência se dá aos poucos, a ciclofaixa que a princípio é para o lazer vai dando aos poucos ao ciclista iniciante o gostinho de pedalar, a confiança, e muitas vezes vai ajudando as pessoas e pensarem “pedalei x Km hoje.. da minha casa até o trabalho é também x Km a distância..” e vai se animando a usar cada vez mais.. Trabalho no Itaim Bibi, onde o volume de automóveis é sempre alto, e tenho visto cada dia mais e mais bikes, me deixa muito feliz.. Infelizmente ainda não me arrisco a ir da minha casa (Tatuapé) para lá de bicicleta, menos pela distância e mais por ser quase impossível evitar grandes avenidas no percurso até lá.. Mas estou bem otimista em relação a introdução da bike em SP!
    Avante!!

    Belle
  • Nossa olhando os comentarios aki me sinto privilegiado de morar em minha cidade onde a topografia e totalmente plana e não levo mais que 25 minutos da minha casa ao centro da cidade indo de bicicleta. Se em minha cidade onde no centro andar pelos carros de bike ja cinto muitos “disabores” imagino em São paulo…
    A prefeitura aki ampliou e bastante o sitema viario aqui em campos dos goytacazes mas em contrapartida na ciclovia mais antiga aqui da cidade que era antigamente a linha do trem ela encortou alguns trexos pra dar lugar a uma terceira pista para carros…

    Oque mais me irrita quando estou na ciclovia são os carros que mesmo não dando pra crusar a avenida de uma mão para outra colocam o carro no meio da ciclovia… mesmo eles tendo uma otima visão do outro lado da pista eles insitem em atrapalhar os ciclistas.

    Rahan

Comente Você Também

Para publicar seus comentários aqui com seu Avatar, cadastre-se no: