Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 5 de maio por gugamachado

Tags:, , , ,

25 Dicas “Top” para melhorar sua pedalada!!! (parte1)

 

De sua dieta até seus treinos de recuperação, há uma abundância de coisas a serem feitas para melhorar seu ato de pedalar!
Normalmente, a primeira coisa que os treinadores irão olhar é a sua dieta e a quantidade/ qualidade de seu sono. Uma noite de 8 a 9 horas de sono irá reparar e recuperar muito bem seu corpo! Treinos de força em musculação também irão te ajudar!
Melhore sua dieta:

Não importa quantos treinos você fizer, você não irá maximizar os resultados se sua dieta é uma “porcaria”. Não vamos aqui propor algo fora da realidade, como cortar o álcool (se você gosta, é claro!), mas vamos sugerir algumas melhorias que, quando combinadas, podem começar a te ajudar.
1. Perca algum peso para melhorar sua relação potência-peso. Lembre-se que gráficos de IMC estão em desuso para os indivíduos atléticos – eles são projetados para identificar pesos saudáveis para a população em geral.
Um monitor de composição corporal é muito melhor para os ciclistas. Os números de referência podem ser:
- 15 a 18% de índice de gordura para o sexo masculino, indivíduo não sedentário;
- 8 a 10% para um ciclista bem treinado;
- 4% para um ciclista de elite.
Aqui, o ideal é variar seus treinos entre passeios longos e fáceis e, mais intensos e curtos (nem que for “indolor”) para otimizar a capacidade de queima de gordura do seu corpo.
2. Não corte a gordura completamente de sua dieta. Ela desempenha um papel importante na reparação do tecido muscular após o treino, e ajuda a fornecer absorção de choque para os pés e órgãos, evitando assim lesões. Existem diferentes tipos de gordura, como as gorduras saturadas (sólidas, encontradas em coisas como manteiga e gordura animal), sendo esta o único tipo de gordura a evitar. Monoinsaturados e polinsaturados, que são aquelas gorduras líquidas à temperatura ambiente (como o azeite) tem vários benefícios para a saúde, incluindo a redução dos níveis de colesterol.
3. Capriche na proteína. Seu corpo só pode absorver 20 g ou mais de protína a cada refeição. Sendo assim, você pode “lanchar” durante todo o dia! E, se possível,  tenha um “shake” de recuperação (tipo “whey”) ou uma “barrinha” de proteína imediatamente após o treino. Tenha em mente porém, que a proteína só dá resultados com relação a reconstrução muscular quando você está treinando duro, e a maioria das pessoas não consegue construir mais de 1 kg de massa muscular em um mês.
4. Beba bastante água. É crucial para manter a capacidade do seu corpo de queimar gordura, se livrar de toxinas, e absorver os nutrientes dos alimentos. Recomendamos ter sempre uma garrafa d’ água ao seu lado no trabalho, e preenchê-la regularmente.
5. Corte o açúcar refinado. Este tipo de açúcar é muito abundante em refeições prontas, refrigerantes e junk food, e é uma das principais causas de obesidade e diabetes. Mas você sabia que além disto ele também pode enfraquecer o seu sistema de imunidade do corpo, e desempenhar estragos em seus níveis de energia? Adoçantes naturais, tais como xarope de agave azul (não indicado para diabéticos), são uma alternativa muito melhor para o seu café da manhã e cereais, mas se puder, afaste-se totalmente deste tipo de alimento.
6. Adquira o hábito de petiscar! Com isto não queremos dizer para você se tornar um “compulsivo” com relação a comer o dia todo! Mas planeje seus lanches para que você nunca fique sem comida ou bebida durante mais de quatro horas. Nozes, frutas, iogurte e carne seca são todos boas apostas.
7. Tente manter um diário alimentar. Não queremos dizer por mais de algumas semanas – pode começar a se tornar uma obsessão – mas aplicativos de smartphones como “MyFitnessPal” são rápidos, fáceis e intuitivos de usar. Eles podem ajudá-lo a obter uma boa idéia de como está a sua dieta atual, e identificar as áreas onde você pode melhorar.
8. Evite alimentos processados! Eles não só são muito mais elevados em açúcar e sal, como também irão te dar picos de energia curtos, em vez de uma libertação gradual de energia. Uma boa regra é olhar para o que você está prestes a comer e se perguntar: “Quão perto da matéria-prima original este alimento está?” Por exemplo, numa batata cozida o ingrediente principal é óbvio, mas numa lasanha refeição pronta … nem tanto.

Comentário

  • Referências?
    Nutricionista?
    ???
    Ou só mais um achismo da net?

    Diego

Comente Você Também

Para publicar seus comentários aqui com seu Avatar, cadastre-se no: