Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 22 de outubro por gugamachado

Tags:, , , , ,

Água: Tudo a ver com o Pedal!

Não é de hoje que quem pedala sabe a necessidade de se hidratar constantemente, principalmente nos dias mais quentes, ou após “aquela subida” para “esfriar os motores”…

O ideal é nos hidratar a cada 20 minutos, não esperando a sede chegar. E para pedais maiores que uma hora, é bom também se alimentar de maneira leve.

E a relação do ciclista com a água vai muito além da simples hidratação, pois tem tudo a ver com o meio ambiente, e por consequência, com a sustentabilidade, tema tão “em moda”, mas na maioria das vezes debatido superficialmente, ou com meras “ações de marketing”, que na sua maioria são pensadas somente para a imagem positiva da empresa, com pouco comprometimento da mesma com a esta causa.

Foi pensando nisto que a empreendedora social holandesa Dopper, focada na redução do descarte de plástico e no incentivo ao consumo de água filtrada, lançou há algum tempo a marca em São Paulo. A companhia responsável pela produção da garrafa Dopper — uma peça de design exclusivo — representa iniciativas para diminuição da poluição causada pelo uso de garrafas PET nos rios e oceanos.

“A Dopper é uma empresa social e nós estamos aqui para causar um impacto positivo, não pensamos somente no lucro” explica Merijn Everaarts. “Ainda há muito a se fazer em relação ao conhecimento sobre a poluição do uso de plástico descartável e o acesso à água limpa no Brasil, por isso esse país é tão interessante para a Dopper, que tem a missão de levar  mensagens de consciência ambiental. Foi muito difícil para mim imaginar que um país como o Brasil, que tem uma das maiores reservas de água doce no mundo, ainda não consegue abastecer uma parte da população com água filtrada.”

Cinco por cento de todos os rendimentos brutos obtidos com as vendas das garrafas Dopper são reservados para a Fundação Dopper, que tem a missão de oferecer acesso à água filtrada para o máximo de pessoas no mundo e também fornecer educação. Isto é feito por meio de palestras, seminários e atividades externas.

A Dopper tem certificação Cradle to Cradle e é fabricada na Holanda. A garrafa é livre do BPA (bisfenol-A), pode ser levada à máquina de lavar louças, comporta 450 ml de água e está disponível em seis diferentes cores: verde, azul, laranja, vermelha, rosa e branca.  A certificação internacional Cradle to Cradle atesta que a Dopper é a primeira garrafa de água produzida de forma sustentável e que contribui para o bem estar das pessoas e para o meio ambiente.

Para mais informações visite a página da Dopper Foundation

Nós aqui do EVDB apoiamos todas as iniciativas ligadas a sustentabilidade além das duas rodas!

Se você conhecer alguma digna de nota, escreva para contato@euvoudebike.com !


Postado em 15 de outubro por gugamachado

Tags:, , , ,

Porquê pedalar te faz feliz?

É o sentimento que te puxa para fora da cama para pedalar antes do qualquer outra pessoa está acordada. É o que te sinaliza para calçar os seus tênis e ir para um “rolê” quando o dia já está ganho. É aquele estado de espírito feliz e relaxado  que procuramos quando nós pedalamos para longe de nossos bairros e e vamos “acumular quilometragem” sem qualquer compromisso,  em qualquer oportunidade possível!

Corredores chamam de “barato do corredor.” Ciclistas sentem isso também. E agora, os pesquisadores estão a um passo de compreender o porquê. Como tantos outros de nossos impulsos biológicos, o desejo de pedalar é como uma função básica de nossos instintos de sobrevivência, ou seja: um sinal primitivo dentro de seu cérebro que visa manter sua existência!

Tudo se resume a duas substâncias químicas importantes do cérebro: a leptina, um hormônio metabólico, e a dopamina, um neurotransmissor. A leptina, a qual é derivada de células de gordura, informa ao seu cérebro quando o corpo tem energia suficiente. Quando os níveis de leptina são baixos –  como os pesquisadores demonstraram ocorrer freqüentemente com pessoas que fazem muitos exercícios de resistência, como ciclismo, você tem o desejo de realizar atividade física em busca de alimentos para repor esta energia.

Daí, quando descemos da bicicleta e fazemos o nosso famoso “lanchinho pós-pedal”, nosso cérebro dispara a substância química dopamina, para nos “recompensar”. E isto se transforma em um ciclo perpétuo de felicidade que nos mantém voltando a pedalar,  para ter sempre mais!

Os pesquisadores da Universidade de Montreal recentemente descobriram este mecanismo de “feedback neural” em um estudo realizado em ratos. De maneira simples, os ratinhos que possuíam a falta da proteína sensível à leptina correram em suas “esteiras” duas vezes mais que os ratos que não tinham. “Pensamos que uma queda nos níveis de leptina aumenta a motivação para a atividade física como um meio para aumentar a exploração do território em busca de comida”, diz o principal autor Dr. Stephanie Fulton.

Seja qual for a motivação, nós amamos o bem estar que pedalar nos traz, especialmente a recompensa de um bom café-da manhã, ou das deliciosas cervejas pós-passeio!


Postado em 8 de outubro por gugamachado

Tags:, , , ,

Dicas para queimar melhor sua gordura pedalando!

 

Quem nos acompanha sabe que não somos um blog focado em nutrição. Porém, não adianta nada gastar uma fortuna na busca por tornar sua bike mais leve, enquanto o ciclista segue “pesado”. Mesmo que seu pedal não seja de “performance”, uns quilos a menos sempre vão bem, né?

E nada melhor do que eliminá-los fazendo o que a gente mais gosta: pedalar!!!

Adicione alguns intervalos difíceis a sua rotina de pedal:

Para maximizar a sua capacidade de queima de gordura, a treinadora olímpica Gale Bernhardt recomenda fazer o que ela considera como “intervalos milagrosos”, uma ou duas vezes por semana (mas não mais!). Estes intervalos são muito curtos, cerca de 10 a a 30 segundos de esforço máximo com recuperação completa entre eles. Combinado com o treinamento regular de resistência, pesquisas mostram que este tipo de intervalo de “muita alta intensidade (HIIT)” aumenta o seu consumo máximo de oxigênio, aumentando o seu limiar de lactato, e melhorando sua economia de energia no ciclismo, a qual vai permitir que você permaneça na sua zona “aeróbica” por mais tempo, para que você pode queimar mais gordura em intensidades mais elevadas.

Aqui cabe uma observação: você sabe qual é sua zona aeróbica ? Se não sabe, faça o seguinte: em primeiro lugar, você deve ter algo para medir a sua frequência cardíaca (FC) de maneira continuada. Você pode utilizar um frequencímetro, aparelho cada vez mais comum e barato. Daí pegue a sua idade, e faça o seguinte cálculo: 220 menos sua idade. Esta é a sua frequência cardíaca máxima (FCmax). A partir daí, sua zona aeróbia será de 60 a 70% deste valor. Vamos a um exemplo. Se você tem 30 anos, sua frequência cardíaca máxima será de 190 BPM (batimentos por minuto). E sua “zona aeróbica” será de 114 a 133 BPMs. E com a melhoria do nosso condicionamento, a tendência é termos nosso batimento cardíaco mais baixo, o que possibilita mais esforço (e consequentemente um maior gasto calórico) até atingirmos a nossa zona alvo.

Lógico que você vai precisar de algum condicionamento prévio para fazer estes intervalos com esforço maior. Por isso, se você é um iniciante, pedale regularmente por  alguns meses para conhecer seu corpo e se adaptar ao esporte e aos seus batimentos., antes de iniciar esta rotina!

Abaixo temos um exemplo de treino “intervalo milagre”:
• Aquecer durante 20 minutos a um esforço aeróbio
• 3 x 30 segundos pedalando com todo seu esforço (batimentos até 90% de sua FCmax), com 04:30 segundos de “giro leve” para recuperar;
• 3 x 20  segundos pedalando com todo seu esforço (batimentos até 90% de sua FCmax), com 04:40 segundos de “giro leve” para recuperar;
• 3 x 10 segundos  segundos pedalando com todo seu esforço (batimentos até 90% de sua FCmax), com 04:50 segundos de “giro leve” para recuperar;
• “Resfriar” por 5 minutos, girando bem leve, até abaixo de sua zona aeróbica.

Respeite a sua recuperação.

Lembre-se de que treinamentos pesados só funcionam se você permitir que seu corpo se recupere. Você precisa de passeios leves e dias de folga também, diz Bernhardt.  ”O maior erro que eu vejo ciclistas fazendo é que eles treinam pesado todos os dias, as vezes mais de uma vez por dia” diz ela. Nessa situação, a fadiga embota todas as adaptações que fazem de você um melhor “queimador de gordura”. Em qualquer semana, Bernhardt recomenda não fazer mais de três pedais “pesados”, que podem ser este intervalado, ou aquele pedal com seu grupo que “puxa mais”, ou aquele mais focado em subidas, ou até um pedal bem mais longo que o seu habitual.

Lembre-se  também de  ter um sono adequado. O sono é quando seu corpo se “auto-repara” e se recupera totalmente. Além disso, pesquisas demonstram que ao “economizarmos” no sono, retardamos nosso seu metabolismo, o quê, obviamente, não é benéfico para a queima de gordura, e leva ao ganho de peso.

Faça alguns pedais “café” a cada semana.

Quando os depósitos de glicogênio estão baixos, seu corpo é forçado a retirar de suas reservas de gordura, razão pela qual ciclistas profissionais juram fazer alguns treinos na sua rotina semanal em jejum. E é mais fácil de fazer isto na parte da manhã. Uma ou duas vezes por semana, você pode tomar um café preto, que estimula a liberação de ácidos graxos em sua corrente sanguínea e ir para o seu pedal, tomando seu café da manhã quando você retornar. “Se você está indo pedalar  mais de uma hora e meia, leve comida com você e começe a comer depois de cerca de uma hora e quinze minutos”, diz Bernhardt.

Algumas pesquisas sugerem que fazer duros esforços em jejum aumenta suas adaptações de queima de gordura ainda mais. Então, se o tempo é curto, você pode se levantar, partir para fazer seus “intervalos milagrosos”, voltar e tomar seu “café da manhã”, e depois seguir seu dia!

Comer mais gordura.

Baixo teor de gordura está oficialmente morto! E se você quiser ser um “queimador de gordura” mais eficiente, comer mais gordura ajuda, especialmente se você comer mais ômega-3 através de peixes gordos, nozes e abacates. A pesquisa mostra que esses ácidos graxos ativam os receptores em seu trato digestivo que melhoram seu metabolismo de queima de gordura. Bernhardt pessoalmente recomenda ingerir cerca de 50 por cento de suas calorias diárias deste tipo de  gordura. “Acho que quando meus atletas ingerem um alto percentual de calorias provenientes de gordura, eles só precisam de cerca de 70 a 100 calorias por hora em suas bicicletas. Mas atenção: a ingestão de gordura não deve acontecer durante a noite. Outra coisa: “você precisa dar seu corpo várias semanas para se adaptar antes de você se sentir realmente bem durante os treinos principais “, diz ela. Ou seja: se você é um ciclista recreacional que pedala “de vez em quando”, esqueça esta história de 50 % de gordura em sua dieta. E lembre-se que esta gordura deve vir dos ácidos graxos provenientes do “omega-3″, e não do fast food mais próximo!

E, para finalizar, mais um mito que cai! Ignore os alimentos energéticos para pedais curtos. Sim, até mesmo “máquinas de queima de gordura” precisa para alimentar-se durante longos e/ou treinos mais pesados e competições. Mas muitos ciclistas comem muito, ingerindo barras energéticas e bebidas isotônicas antes, durante e depois de cada pedal, atrapalhando assim sua queima de gordura e, em alguns casos, até ganhando peso! Para passeios de menos de uma hora, deixe as bebidas esportivas e as barrinhas em casa.

Esperamos com isto tornar você uma verdadeira “máquina de queimar gordura”!

Sempre lembrando que, ao decidir treinar mais pesado, procure seu médico e faça antes uma avaliação de seu estado de saúde geral!

Boas pedaladas!


Postado em 1 de outubro por gugamachado

Tags:, , ,

Conheça a Bicicleta “Sanduíche”

Ah, a internet….Tem cada coisa que circula, que as vezes a gente até duvida que seja verdade!

Mesmo assim, as idéias apresentadas em certos projetos “espetaculosos” são bem legais, e em algum momento talvez até sejam implantadas.

A “bicicleta sanduíche”, ou Sandwitchbike é um clássico exemplo deste movimento.

Já a venda nestes locais, ela é comercializada numa espécie de ” box kit”, onde a idéia é que cada um faça sua própria montagem da bike.

Por cerca de 800 Euros, e com entrega inicial prevista para outubro, segundo o site do fabricante, ”você não acreditaria nunca que dois painéis de madeira poderiam te oferecer um passeio tão legal!”

Veja mais infos neste vídeo !

 


Postado em 24 de setembro por gugamachado

Tags:, , , ,

O Sono é mais importante do que o Exercício? O que diz a ciência?

Você é o tipo de pessoa que gosta de malhar com pesos pela manhã para se mexer? Ou prefere sair correndo de estômago vazio?

Ou talvez você seja o tipo de pessoa que gosta de apertar o botão de soneca e aproveitar mais alguns minutos em sua cama aconchegante. Logo a questão passa a ser: dormir ou fazer exercícios – qual é mais importante?

ESTUDOS MOSTRAM QUE O SONO AJUDA SEU CORPO A REGENERAR

Sete a nove horas de sono por noite: este é o número recomendado por especialistas do National Institutes of Health para garantir saúde a longo prazo. Mas o fato é que muitas pessoas dormem muito pouco e também fazem muito pouco exercício; nenhuma dessas duas situações é boa para sua saúde.

Um bom sono …

… É extremamente importante para o corpo. O sono mantém a saúde mental e física, ajuda o corpo a se recuperar e fortalece o sistema imunológico. Se tivéssemos que julgar com base somente neste aspecto, teríamos que dizer que dormir é mais importante do que exercícios….

…Mas não tão rápido! Se você acha que pode simplesmente apertar o botão de soneca a partir de agora, talvez deva ler primeiro sobre os benefícios de malhar pela manhã:

Quando você faz exercícios ao ar livre, a luz do dia ajuda seu corpo a suprimir o hormônio do sono, a melatonina. Isso mantém você se sentindo alerta e acordado.

Se você tem dificuldade em se motivar para malhar depois do trabalho, se exercitando pela manhã, já pode riscar uma coisa da sua lista de afazeres!

Um estudo descobriu que pessoas que vivem em regiões quentes têm mais resistência pela manhã. (1)

Seu corpo libera endorfinas, o que o deixa com mais disposição para o trabalho.

FALTA DE SONO INCENTIVA GANHO DE PESO

Você sabia que dormir pouco pode causar ganho de peso? Os especialistas descobriram que o sono inadequado pode aumentar a produção do hormônio da fome grelina. Isso pode levar ao desejo por alimentos gordurosos e não saudáveis. É um ciclo vicioso – porque esses tipos de alimentos fazem você se sentir lento e, por sua vez, menos motivado para o exercício.

Você sabia?

Outro estudo mostrou que pessoas que dormem menos de sete horas por noite tendem a se exercitar menos do que aquelas que fecham mais os olhos. O resultado? Quanto mais você dorme, mais resistência você terá para o seu treino!

MAIS EXERCÍCIOS – SONO COM MAIS QUALIDADE

Um artigo no Journal of Clinical Sleep Medicine mostrou que exercícios regulares podem melhorar a qualidade do sono. Além disso, a maioria das cobaias dormiu a noite toda. Outro estudo examinou o impacto do tempo de exercício na qualidade do sono. O que se descobriu foi que as pessoas que se exercitam pela manhã tendem a dormir melhor. Os participantes do estudo que treinaram às 7 horas da manhã conseguiram dormir mais e mais profundamente do que aqueles que treinaram entre 13 e 19 horas.

ASSIM, QUAL É MAIS IMPORTANTE? SONO OU EXERCÍCIO?

Você provavelmente já pode adivinhar a resposta: sono suficiente e exercícios saudáveis são importantes se você deseja continuar saudável por muito tempo. Se você deseja fazer seu treino de manhã ou à noite, você decide.

Mas o fato é que a falta de sono faz com que você se sinta cansado ao longo do dia e diminui seu rendimento tanto no trabalho quanto na academia!

artigo baseado em texto do site Runstatic


Postado em 17 de setembro por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

Saltos de bicicleta sobre o lago

Mais um vídeo da série “não tente isso em casa”. Ciclistas patrocinados pela marca de roupas Ensoul realizaram manobras altamente radicais (e perigosas) na beira de um lago.

Segundo relato do diretor do vídeo, apenas uma pessoa se machucou durante as gravações. O acidente pode ser visto na segunda cena de queda no vídeo. Aquele ciclista teve que levar seis pontos na região do joelho.

Ainda de acordo com o diretor, uma semana antes das filmagens, um ciclista quebrou machucou gravemente o pescoço tentando fazer o mesmo tipo de manobra.

Assista ao vídeo abaixo (e não tente isso em casa!):


Postado em 27 de agosto por gugamachado

Tags:, , ,

Já ouviu falar nos “wearables”?


Por definição, wearables (ou “vestíveis”) são roupas e acessórios que incorporam computadores ou alguma tecnologia avançada, apresentando então muitas características extras que podem ser capazes de medir desde seus passos, até seus batimentos cardíacos!

Por aqui somos muito “fãs” de tecnologia! Dito isto, pretendemos iniciar por aqui uma série de posts falando sobre este novo e vasto mundo dos “wearables”, trazendo, sempre que possível, uma experiência de uso. Aliás, se você é usuário desta tecnologia, nos escreva contando sobre sua experiência que teremos o maior prazer de publicar!

Vamos iniciar por aqui com um equipamento totalmente voltado ao fitness. Trata-se do “Garmin Vivoactive 3“. Este é um smartwatch intermediário da Garmin, porém com muitas capacidades e multiesportes, isto é, pode medir desde uma caminhada até seu treino de natação


O Vivo Active 3 é um smartwatch com tela “Gorila Glass 3″ do tipo “touchscreen”, com caixa em alumínio e pulseira de borracha, bastante confortável, com vários sensores que ficam atrás da caixa do relógio. Além dos tradicionais sensores do tipo acelerômetro e afins, ele tem um sensor que mede nossa frequência cardíaca 24 horas por dia, além de um sensor de transpiração e de temperatura corporal, para determinar com mais realidade nosso gasto calórico diário. E comparando a acuidade dele com um frequencímetro dedicado do tipo “Polar”, por exemplo, a acuidade é ótima! Na maioria das vezes a diferença era de um a dois batimentos a menos do que os registrados pelo sistema cinta-relógio do Polar. Isto sem contar a conveniência de não precisar de nenhum acessório (cinta e afins) além do relógio.

Em relação ao hardware, um fator que o destaca da concorrência é ele ser a prova d’água até 5 ATMs (50 metros), além da ótima duração da bateria, em média 6 dias de uso. Ele é carregado via USB através de um cabo proprietário, cuja carga total se dá em menos de uma hora¡¡¡


Outra coisa muito positiva é o fato dele, através de um sistema proprietário, ele reconhece e registra automaticamente a sua caminhada, corrida ou pedalada, bem como quando você cochila ou dorme. Ou seja, você nem precisa acioná-lo ao iniciar estas atividades!

Ele tem ainda sistema de iluminação noturna, acesso rápido a sua frequência cardíaca,  data, cronometro e um alarme silencioso que te acorda vibrando conforme seu batimento cardíaco. Quando pareado via Bluetooth com seu smartphone, ele é capaz ainda de exibir suas notificações de seus apps (Twitter, Facebook, SMS, iMessage, WhatsApp) bem como suas chamadas no celular, as quais você pode recusar a partir do relógio.

Falando nesta sincronia, o Vivo Active possui um belo app (versões para iOS e Android) que registra todas as suas atividades e as mostra em gráficos bem completos, ou resumidos, se você preferir. Você pode ver sua quantidade de passos diários, seu gasto calórico e como foi sua noite de sono de uma maneira simples e intuitiva. Estas informações também são disponíveis via web pelo seu browser preferido, via “webapp” sincronizado pelo app do smartphone e extremamente completo, fornecendo não só analises, como sugestões de treino. Praticamente um “personal” de bolso!

O único ponto negativo ao meu ver é que o gadget incomoda um pouco na hora de dormir, devido ao seu volume. Neste sentido, outros wearables como o Fitbit devem ser mais confortáveis.

Aguardem em breve novo post sobre “wearables”! Se tiver alguma sugestão de equipamento para testar, deixe aqui nos comentários!

 


Postado em 6 de agosto por gugamachado

Tags:, , , ,

Sete erros que cometemos em nosso jantar!

Quem nos acompanha aqui sabe que de tempos em tempos gostamos de dar algumas dicas de nutrição, sempre apoiados em pesquisas e pareceres de pessoas da área.  E nestes tempos de pandemia (estamos em agosto de 2020, e para quem está respeitando a quarentena, há mais de 4 meses parados…) temos que aumentar ainda mais nossos cuidados nutricionais, para evitar o ganho de peso indesejado, e consequentes problemas de saúde!

Um artigo da Runtastic nos chamou muito a atenção no sentido de cuidar mais de nosso jantar, que é onde boa parte das pessoas acaba se excedendo.  Então fizemos uma tradução e adaptação deste artigo com algumas dicas.  Esperamos poder ajudar!

1. DEIXAR O PLANEJAMENTO DA REFEIÇÃO PARA O ÚLTIMO MINUTO!

É muito difícil fazer boas escolhas nutricionais no final do dia, quando você normalmente já está exausto! Organize um plano de refeições no fim de semana ou em um dia em que você tenha um tempo extra para que a preparação das refeições ocorra sem problemas durante a semana. Quando você já sabe o que vai preparar e parte da preparação das refeições é feita com antecedência, é muito menos provável que você opte por fast food ou alimentos processados.

A solução: lembre-se de deixar algum tempo para preparar as refeições todos os dias, ou seja, preparar sua comida às 20h não é o mesmo que sentar e comer às 20h.

2. COMER GRANDES SOBREMESAS

Você sabia que consumir grandes quantidades de açúcar pode afetar negativamente a qualidade do seu sono? Quando você ingere uma grande carga de açúcar, ocorre um pico e, em seguida, uma queda subsequente do açúcar no sangue durante a noite, causando muitas vezes seu despertar. E mesmo que você não se levante, este pico faz com que seu sono seja bem mais leve, deixando-o cansado no dia seguinte.

A solução: se você tem muito apetite por doces, você pode satisfazê-lo com um pequeno “mimo” pós-refeição, como um quadrado de chocolate preto. Quando você gosta muito de doce, felizmente basta uma pequena porção para satisfazer está vontade!

3. FAZER DO JANTAR A MAIOR REFEIÇÃO DO DIA

Se você está tentando perder peso, pode ser vantajoso fazer refeições maiores mais cedo durante o dia. Se você comer sua refeição maior no almoço, terá mais facilidade em perder peso – mesmo que a quantidade de comida seja a mesma! Além disso, comer no início do dia pode causar alterações hormonais que o mantêm satisfeito por mais tempo. reduzindo assim o risco de comer demais!

A solução: reduza o tamanho do seu jantar  e adicione algumas calorias extras ao seu café da manhã e almoço.

4. CONSUMIR MUITO ÁLCOOL

Você pode adormecer mais facilmente depois de alguns “drinques”. Porém o álcool afeta toda a sua noite de sono interrompendo o fluxo natural dos  diferentes estágios do sono. Isto geralmente pode resultar em um sono mais leve e inquieto na madrugada, deixando-o cansado no dia seguinte.

A solução: mantenha a quantidade de bebida alcoólica controlada, ou seja, num nível em que não se sinta  inquieto durante a noite.  Isto pode ser notado quando acordamos com muita frequência durante a noite.

5. CONSUMIR BEBIDA CAFENADA DURANTE O JANTAR

A cafeína estimula o sistema nervoso central do seu corpo, aumentando a atenção e reduzindo a fadiga. Ela também bloqueia a eficácia da adenosina, um produto químico que ajuda a deixá-lo sonolento e regula os ciclos de vigília.

A solução: as respostas à cafeína são muito individuais; se você sentir que no seu caso você metaboliza a cafeína lentamente, é melhor pular a cafeína no jantar. Quando desejar uma bebida quente no jantar, opte por chás de ervas ou café descafeinado.

6. COMER NA FRENTE DA TV OU DO COMPUTADOR

Jantar enquanto assiste TV ou navega na web pode levar a uma condição onde seu cérebro não registra o que você comeu (em alguns casos sequer registra que você comeu) não dando então a sensação de saciedade desejada após uma refeição. Quando você não está prestando atenção ao que consome, é menos provável que se sinta saciado. As pessoas que comem enquanto estão distraídas tendem a ter menos consciência do quanto comeram durante esse período, levando as a comer demais.

A solução: tente fazer refeições saudáveis sem eletrônicos próximos e faça um esforço para prestar atenção às especificidades do que você está comendo, como cores, texturas e sabores da sua comida.

7. COMER DEMAIS PERTO DE DORMIR

Por último, mas não menos importante: uma refeição noturna pode causar altos níveis de açúcar no sangue que seu corpo não é capaz de lidar quando sente que você deveria estar dormindo.

Com o tempo, isso pode levar ao acúmulo de gordura, resistência à insulina, ganho de peso e distúrbios metabólicos.  Além disso, o estômago leva algumas horas para esvaziar após uma refeição (e geralmente isto diminui com o avanço da idade), portanto, comer tarde é uma causa comum de refluxo ácido.

A solução: planeje fazer sua última refeição do dia no máximo 3 horas antes de ir para a cama. Organizar um plano de refeições com antecedência é uma ótima maneira de garantir que você não coma muito tarde da noite.

 

CONCLUSÃO:

Não importa se você quer perder peso ou apenas viver um estilo de vida mais saudável, um jantar saudável é a maneira perfeita de encerrar o seu dia.

Experimente as nossas dicas e com certeza você se sentirá melhor e também dormirá muito melhor!

 

E isto certamente ajudará na sua proxima pedala!!!


Postado em 30 de julho por Eu Vou de Bike

Tags:, , , ,

Veja dicas para pedalar no frio!

O clima  esfriou ! Para você não deixar a bicicleta encostada neste inverno, mandamos cinco dicas rápidas para você pedalar em dias gelados!

- Ao iniciar a pedalada, utilize a marcha mais leve possível e pedale rápido por 5 minutos. Assim, você realiza seu aquecimento já na bicicleta;

- Procure pedalar em um ritmo constante para manter-se aquecido;

- Pare somente quando extremamente necessário, e fique parado o menor tempo possível. Ao parar, dê preferência aos locais mais protegidos do frio.

- Quando você está pedalando em ritmo forte, principalmente em subidas, seu corpo fica mais aquecido, e quando você para, seu corpo esfria. Por isso, nas paradas e em longas descidas, não se esqueça de se aquecer.

- Utilize sempre roupas adequadas para a temperatura, mas não se esqueça que o corpo aquece com o pedal e você pode passar calor se usar muitas blusas.

Foto no Flickr


Postado em 16 de julho por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

Veja dicas para sair do sedentarismo

Os grandes centros urbanos, com a sua automatização progressiva, fazem com que o estilo de vida do ser humano seja direcionado para diminuir a realização de atividades que envolvam um aumento do gasto energético, pois as inovações tecnológicas são cada vez mais voltadas para facilitar a vida do indivíduo.

Porém, a consequência desta comodidade é que, com a diminuição do gasto calórico, aparecem doenças relacionadas ao sedentarismo tais como o diabetes, a hipertensão arterial, a depressão, a obesidade, o câncer, o infarto agudo, a osteoporose e as doenças pulmonares.

Podemos definir como sedentária a pessoa que anda ou se exercita pouco, ou seja, inativa. Sedentarismo é a queima de menos de 2.200 calorias por semana em atividades físicas ou a ausência de prática de atividade física leve por menos de 30 minutos diariamente.

Existem outros fatores significantes que favorecem esta escolha do individuo em não se exercitar regularmente tais como: a falta de segurança urbana, que acaba sendo um obstáculo para quem pretende fazer atividades físicas, a redução de alimentos preparados em casa em detrimentos aos industrializados, o aumento do consumo de refrigerantes e bebidas alcoólicas, a redução do gasto de energia no trabalho e a utilização cada vez maior de automóveis.

O exercício físico atua diminuindo o stress emocional, reduzindo a gordura corporal, aumentando a massa muscular e a densidade óssea, melhorando o desempenho do sistema cardio-respiratório e imunológico. Enfim, aprimorando a aptidão física para uma boa qualidade de vida.

Segundo trabalhos científicos recentes, praticar atividades físicas por um período mínimo de 30 minutos diariamente, contínuos ou acumulados, é a dose suficiente para prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida. Tornar-se ativo pode ser uma tarefa muito difícil, porém não de todo impossível. As alternativas disponíveis muitas vezes estão ao alcance das pessoas, porém passam despercebidas.

Aumentar o gasto calórico semanal pode se tornar possível simplesmente reagindo aos confortos da vida moderna. Como exemplos disto temos:

- Ao chegar a casa ou no trabalho, se residir em edifícios, descer do elevador 3 a 4 andares antes e subir o restante de escada. Deste modo o metabolismo aumentará e junto com ele o gasto de calorias.

- Utilizar menos o controle remoto para mudar o canal da TV. Isto faz com que haja um gasto de energia ao levantar do sofá ou cadeira para se locomover até o aparelho.

- Estacionar o automóvel intencionalmente num local mais distante do lugar de destino. Desta forma, o fato de caminhar uma maior distância já estimula um maior gasto de calorias.

- Dispensar o uso da escada rolante no shopping center ou em lugares que a possuam, estimulando-se assim o hábito de praticar atividade física.

- Ao utilizar transporte público descer um ponto antes do trabalho e caminhar o restante do percurso.

- Ir trabalhar de bicicleta ou fazer uso regular da mesma como meio de transporte. Se trabalhar próximo ao metrô, verifique se a estação possui bicicletário para empréstimo ou estacionamento para bicicletas. Deste modo, o consumo de calorias do corpo humano aumentará e as doenças relacionadas ao sedentarismo serão prevenidas.

Estas atividades, apesar de parecerem simples, estimulam o aumento do metabolismo corporal.

Com relação ao gasto total de calorias por indivíduo, é necessário saber a idade, peso, altura, sexo, porcentual de massa muscular e tecido adiposo para se determinar com mais propriedade os valores individuais de cada pessoa. Mas o mais importante é se movimentar o suficiente para aumentar o consumo calórico pelo corpo, aumentando assim o metabolismo basal.

Portanto, estas são algumas alternativas que podem compor uma simples mudança de hábitos, podendo ser praticadas em locais abertos, não sendo assim necessária a prática em locais específicos, como academias e parques.

Lembre-se sempre de consultar-se com um médico antes de iniciar qualquer atividade física e procure a orientação de um profissional da área de Educação Física para saber qual é a intensidade mais adequada para você.

Por Luis Gustavo Corrêa Leite
Licenciado em Educação Física, com Pós-Graduação em Biomecânica Aplicada a Atividade Física e Saúde, possuindo 10 anos de experiência na prescrição de atividade física com ênfase nas áreas de Musculação e Personal Trainning para as diferentes faixas etárias da população, atuando em academias, residências e espaços de prática outdoor de atividade física.



Próxima