Houston na web Youtube Flickr RSS

Fórum de ideias

Se você tem ideias, dicas ou opiniões que possam melhorar o ciclismo no Brasil, participe e contribua para o movimento "Eu vou de Bike".

Postado em 23 de novembro

Uso da bicicleta como meio de transporte é viável?

Baseado em nosso recente post sobre Amsterdã, e os comentários gerados a partir deste, criamos este espaço por aqui para que possamos aprofundar a discussão sobre a utilização da bicicleta como meio de transporte e as políticas públicas de incentivo (ou não).

Seria muito interessante se todos pudessemos fazer um breve relato de nossa cidade natal com relação a usar a bike em nosso dia a dia. Quem sabe com isto ganhamos representatividade para reinvidicar nossos direitos?

Foto: Claudio Olivares Medina

IDEIAS

Campanha por chuveiros nas empresas

Por Daniel Bouts em 26/08/2011

Moro na cidade do Rio de Janeiro e faço uso frequente da bicicleta como meio alternativo de transporte. O Rio tem uma malha cicloviária invejável, tanto em quantidade como em qualidade, principalmente ao longo da orla. Durante um ano eu fiz a experiência diária de percorrer de bicicleta uma distância de 10 km, da minha casa ao trabalho. Como no meu trabalho não existem nem bicicletários, nem chuveiros disponíveis para os empregados, eu tive que me associar a um clube no centro da cidade para tomar banho, enquanto que a bicicleta ficava amarrada em um poste na rua mesmo. Além do receio de não encontrar a bicicleta na volta, havia a questão que este clube ficava no terceiro andar de um prédio a cinco quadras do meu trabalho, ou seja, eu levava mais tempo para tomar banho e depois me encaminhar ao trabalho, do que o percurso de bicicleta efetivamente. Tudo isso poderia ser evitado se ao menos a empresa oferecesse vestiários com chuveiros aos seus funcionários, pois aqui no Rio o calor é intenso em boa parte do ano. Mas infelizmente as empresas de um modo geral não se mostram muito interessadas ou sensibilizadas para a questão do transporte alternativo e os benefícios auferidos. Acredito que os governos podem e devem exercer um papel decisivo no engajamento das mesmas nesta questão, seja através de campanhas informativas e ou benefícios fiscais, por exemplo. Mas mais boas idéias podem surgir para melhorar essa questão.



Comentário

  • Em Seatle, uma lei municipal obrigou todos os novos prédios de escritório a terem vestiário com chuveiros e bicicletário. Creio que seria um exemplo a ser copiado.

    Elder Braga
  • Eu bem que tentei ir de bike pro trabalho, mas o estacionamento subterrâneo da cinelândia tirou o vestiário do ciclistas. Segue o link do meu relato completo do blog do O Globo De Bike e a matéria que o O Globo fez sobre o assunto: http://oglobo.globo.com/blogs/debike/posts/2011/09/30/banheiros-fechados-no-subterraneo-da-cinelandia-408702.asp | http://oglobo.globo.com/rio/bicicletas/mat/2011/10/15/construcao-de-bicicletarios-instalacao-de-chuveiros-nas-empresas-incentivam-uso-das-bikes-como-transporte-925588177.asp

    Leonardo
  • Oi Daniel. Fiz um post comparando a vaga de um automóvel e o espaço necessário para http://www.oeco.com.br/raul-bueno/25344-vagas-por-duchas

    Se um vestiário se faz necessário em Seattle, que dirá no Rio de Janeiro.

    Raul Bueno
  • O suor produzido pelo exercício aeróbico contém 99% de água e apenas 1% restante para outras substâncias. O mau cheiro pode ocorrer se o corpo engordurado entrar em contato com o suor. Antes de pedalar tome um banho usando sabonete bactericida para evitar o cheiro desagradável.

    Adilson
  • Eu não concordo que o Rio tenha uma "malha" cicloviária invejável, porque não chega a ser uma malha. O prefeito até que tenta (ou finge), mas está longe de ser.

    Eu moro no Catete e trabalho no Centro. São apenas 2 km de distância que faço todo dia de bicicleta pela rua! Tem poucos meses que me mudei para cá e percebo como é grande o número de pessoas que usam a bicicleta como meio de transporte.

    Acho que Buenos Aires é um bom exemplo a ser seguido. Em 2 anos criaram ciclofaixas eficientes por toda a cidade, os estacionamentos são obrigados a disponibilizar bicicletários com preço inferior ao estacionamento de carros e quem é morador pode pegar uma biblicleta emprestada de graça em vários pontos da cidade.

    Carol
  • Daniel, assim como a Carol eu também não concordo que o Rio tenha uma "malha" cicloviária invejável. Moro no Humaitá eu vou para o trabalho no Jardim Botânico de bike. Nossa é um sufoco. No Humaitá a ciclovia é praticamente toda na calçada. Passo em frente a escolas (um perigo para nós e para as crianças). além disso estão todas esburacadas, e com as raízes das árvores ocupando as vezes todo o espaço entre a rua e os prédios/casas. Eu adoro pedalar e me considero uma privilegiada, mas os nossos governantes poderiam nos ajudar mais.

    Katarina Costa
  • Aqui em Francisco Beltrão temos a 1ª ciclofaixa em uma única via. Sim, não é nenhum pouco suficiente para tornar o trânsito para os ciclistas mais seguro, mas ajuda. O problema ficou por conta do comerciantes da cidade (não considero-os efetivamente empresário, pois vem a ideia de empreendedor e não vislumbro qualquer empreendedorismo na postura deles) reclamaram, fizeram protestos e pressão para permitir que carros sejam, estacionados na ciclofaixa durante o horário comercial, pois a ciclofaixa "reduz o conforto dos clientes deles que passarão a comprar em outros estabelecimentos". Argumento pífio e egoísta, na minha opinião.
    Ainda estou sem o preparo físico necessário e temos alguns morrinhos na cidade, mas estou deixando o carro em casa na parte da manhã e usando a bicicleta. O carro fica para o período da tarde, onde tenho que ser mais ágil no deslocamento (como advogada, se for chegar na delegacia ou outro lugar mais distante). A meta é ficar o máximo possível sem carro, privilegiando o meio ambiente, a minha saúde e o meu bolso (já que o consumo de combustível será menor, hehehe).

    Morena Gabriela
  • Trabalho em uma escola e já pedi a ativação de um banheiro que é usado como depósito de material de limpeza e os funcionários da limpeza reclamam o local para eles, queria que fosse usado para banho de funcionários ciclistas. Também pedi a instalação de um bicicletário para alunos, professores e funcionários e a reativação dos vestiários dos alunos (masc e fem) que, desativados, são usados como depósito há anos! Como 99% dos funcionários usam carro, e eu sou no momento o único ciclista e, apesar dos alunos ciclistas serem em número considerável, não consegui nada até agora, vou ao trabalho de ônibus mesmo.

    Valdemar Christo
  • O problema ficou por conta do comerciantes da cidade (não considero-os efetivamente empresário, pois vem a ideia de empreendedor e não vislumbro qualquer empreendedorismo na postura deles) reclamaram, fizeram protestos e pressão para permitir que carros sejam, estacionados na ciclofaixa durante o horário comercial.

    Isabel
  • Moro na cidade de São Paulo e faço uso frequente da bicicleta como meio alternativo de transporte. Mas a cidade carece muito de faixas exclusivas para ciclistas, pois, existem muitos motoristas imprudentes que deixa muitos pontos da cidade muito perigoso para trafegar, principalmente no horário de pico.

    Adilson Martins

Comente Você Também

Para publicar seus comentários aqui com seu Avatar, cadastre-se no: