Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 1 de julho por gugamachado

Tags:, , , ,

Você sabe o que é “Ciclocross”?

Se você pedala de Mountain Bike (MTB) já deve ter se imaginado pedalando uma Speed, em especial numa daquelas estradas sem fim…E se você pedala de Speed, certamente já quis fazer uma trilhazinha de leve, ou mesmo uma estradinha de terra batida…

Agora imagina uma bike que “aguenta o tranco” nas duas modalidades!

Conheça o Ciclocross (Cyclo-cross ou CX para os íntimos) !!!

A origem desta modalidade é meio confusa: tem uma escola que diz que este estilo de pedalar surgiu no início do século passado, quando os ciclistas de estrada europeus disputavam uma espécie de “vale tudo” para chegar de uma cidade a outra, podendo cortar por fazendas e campos, pular porteiras, e por aí vai! Outra escola diz que este tipo de pedal surgiu um pouco mais pra frente, nos anos 40, onde os atletas das grandes voltas européias (Tour de France, Volta da Itália, etc), para não ficar parados após o término da temporada e com a chegada do inverno, selecionavam circuitos fechados e mais curtos (de 2,5 a 3,5 kms), porém com vários obstáculos a transpor (a própria neve inclusive), de modo a se manterem minimamente em forma para a próxima temporada.

Esta prática foi caindo nas graças de vários atletas e ciclistas comuns, e hoje virou uma verdadeira febre, gerando espetáculos bem interessantes de se acompanhar, devido ao inusitado de ver uma bicicleta do tipo “speed” (na verdade de perto ela é bem diferente – vamos tratar disto mais a frente) cheia de lama, muitas vezes sendo carregada nas costas do ciclista!

 

 

Outra coisa que atrai o público é que as provas são curtas, durando de 30 minutos a no máximo uma hora, e os circuitos são acessíveis, uma vez que os obstáculos na maioria das vezes são construídos artificialmente, e a pista é curta com uma altimetria baixa, para tornar a competição mais dinâmica.

Esta modalidade é muito forte na Europa, em especial na Bélgica, na França e na Holanda, onde as competições costumam acontecer de setembro a janeiro. O Campeonato Mundial (pela UCI) ocorre em janeiro, e os Estados Unidos e o Canadá também costumam participar, com transmissão pela ESPN (Brasil também).

O competidor deve possuir habilidades de MTB, endurance e corrida do tipo “cross-country” e é permitido a ele total apoio mecânico, e até troca da bicicleta inteira, se for este o caso. Inclusive muitos ciclistas optam por isto uma vez que a bike, durante a prova, é muito “judiada”, ficando por vezes coberta de lama!

Então, se você gosta de lama, esta é a sua modalidade!

No próximo post falaremos sobre equipamento e técnicas de pilotagem!


Postado em 23 de junho por gugamachado

Tags:, , , , , , ,

Ciclocross – Equipamentos e Técnicas!!!

Semana passada postamos aqui  uma explicação geral sobre o que é o Ciclocross. Depois da ótima repercussão, combinamos de nos aprofundar falando hoje sobre equipamentos e algumas técnicas de pilotagem!

A Bicicleta

Aproveitamos a ocasião para lançar em primeira mão a AUDAX Flanders !!!

Ela é a primeira ciclocross nacional e já está super em sintonia com o que há de mais moderno na modalidade. Sendo assim, nós vamos usá-la de exemplo sobre algumas características desejáveis nas bikes destinadas a este tipo de pedal.

Na sua essência, uma bike de CX é uma Speed. Porém, um olhar mais cuidadoso, vai notar várias características únicas, que buscam melhorar muito a performance “off-road” da bike!

Uma primeira e mais chamativa característica são os pneus, mais largos e com “cravos”, podendo vencer trilhas e obstáculos com facilidade, porém mantendo a agilidade de uma bicicleta de estrada.

A segunda característica que a separa de uma Speed é o garfo dianteiro mais largo, para absorver melhor os impactos, comuns nesta modalidade. Note também que o “cockpit” da bike (guidão e demais componentes) é ligeiramente mais largo que o convencional, para facilitar a pilotagem.

Além da geometria do quadro, que no caso da Flanders é de fibra de carbono, o que torna a bike mais leve e confortável, a transmissão é “mais leve” ( 36-46) que numa Speed convencional, para facilitar as frequentes subidas e arranques neste tipo de prova. Note também que o sistema de encaixe da sapatilha é o sistema de Mountain Bike (padrão Shimano SPD), o que facilita a limpeza do pedal, e diminui também o acúmulo de lama.

Mais uma tendência internacional, é a presença de freios a disco na bike, que vieram substituir os tradicionais “cant-levers”. Os freios a disco têm a grande vantagem de, além de sua maior eficiência (desde que sejam de boa qualidade, é claro), acumularem menos resíduos, mantendo seu poder de frenagem intacto ao longo da prova. No caso da AUDAX Flandres, os mesmos são hidráulicos, o que facilita também o manuseio!

Para encerrar, é desejável que a bike tenha “o menos cabos e conduítes expostos” possível, uma vez que, além da desregulagens naturais presentes numa prova deste tipo, é comum que o ciclista conduza a bike no seu ombro por longos trechos, passando inclusive por muros e paredes segurando a bike. E o fato de não ter cabos expostos para “enroscar”, sem dúvida nenhuma constitui uma enorme vantagem na hora do perrengue!

Técnicas de Pilotagem e Acessórios

Aqui é o contrário: em sua essência, as técnicas e acessórios do Ciclocross são do Mountain Bike (MTB). Assim, o vestuário é o mesmo do MTB, com destaque para maior proteção na região dos braços (com os chamados “manguitos”) e capacetes mais seguros, bem como óculos de proteção (se possível em policarbonato) e luvas (se possível, de “dedos longos”). Lembrando também que as sapatilhas são de MTB, com solado com cravos. Como na Europa esta modalidade é praticada no inverno, é comum o uso de uma “segunda pele” (calça e blusa) sobre o uniforme de ciclismo.

As técnicas de pilotagem são quase as mesmas do MTB, com muitos pulos do tipo “bunny hop”, onde técnica e experiência contam muito! Dependendo do obstáculo a ser vencido, é comum desmontar da bike, encaixá-la no ombro direito, e vencer o obstáculo, que pode ser desde um simples muro, até uma “parede de alpinismo”. É comum também terem escadas no circuito, assim como os tradicionais “single tracks”. Assim, é desejável que o ciclista tenha um bom condicionamento do tipo “endurance”, além de alguma técnica de corrida rústica.

E aí? Se animou para experimentar esta modalidade? Quem sabe em breve temos uma prova destas em nossas praias????


Postado em 26 de maio por Eu Vou de Bike

Tags:, ,

Ciclocross nas montanhas

Existem vídeos que inspiram a gente, como o que divulgamos aqui na última semana com manobras de bike trial.

O vídeo que publicamos hoje traz imagens belíssimas das trilhas percorridas com uma bike de ciclocross nas montanhas de Peebles, no interior da Escócia.

- Leia mais sobre ciclocross no blog Maglia Rosa