Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 14 de dezembro por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

Bicicleta como presente de Natal

O Natal vem chegando e, apesar dos videogames, iPads e iPhones, as crianças adoram ganhar a “primeira bicicleta”, um presente inesquecível.

>> Veja como escolher o tamanho da bicicleta para seu filho

A Houston tem uma linha completa de bicicletas infantis para crianças de todas as idades.

Para os jovens na faixa do 10 aos 18 anos, a linha Radical deve agradar muito!

 

 

Veja aqui onde você encontra esses e muitos outros modelos da Houston!

Esta é nossa dica para o Natal. E não se esqueça do capacete para garantir uma pedalada muito mais segura!


Postado em 30 de novembro por gugamachado

Tags:, ,

Saiba tudo sobre alongamento muscular!

Antes ou depois das atividades físicas? Pode ser feito por todos? Fisioterapeuta Bernardo Sampaio tira as principais dúvidas sobre o tema.

 

Ao praticar atividades físicas, sempre se ouve falar sobre a necessidade de “alongar” antes da realização dos exercícios de maior impacto, mas será que todos sabem o porquê e a importância dessas “preliminares”?

O alongamento se dá pelo estiramento dos tecidos do corpo, afastando o músculo de um ponto ao outro, com o objetivo de dar mais agilidade, aumentar a amplitude do movimento muscular e da elasticidade.

Isso acontece, pois fisiologicamente o alongamento baseia-se num efeito neurofisiológico que envolve o reflexo de estiramento. O efeito final é o relaxamento do músculo e a melhora da flexibilidade do mesmo.

Entretanto, a importância do alongamento ainda é um tema amplamente discutido, pois as evidências científicas são controvérsias em relação aos benefícios de prevenção e recuperação muscular por exemplo. Existem indícios que têm demonstrando efeito em curto prazo.

Quando se deve fazer o alongamento?

Antes ou depois de atividade física? Como muitos pontos em relação ao alongamento, a resposta ainda fica em cima do muro. O que sabemos até então é que estudos mostram que há uma redução na capacidade de força isométrica do músculo logo após alongamento intenso, predispondo a uma menor eficiência e reduzindo o desempenho na prática esportiva, principalmente em corridas.

Portanto alongamentos severos ou de alta intensidade que antecedem a prática esportiva não apresentam benefícios como forma de aquecimento.

Após a atividade física o alongamento provoca pequeno benefício nas dores musculares e na recuperação das mesmas. A recuperação pós atividade deve ser feita gradualmente com outras intervenções ativas ou passivas. Isto não nos diz que é contraindicado, mas sim não a única solução como acreditava-se. Por hora, após atividade física alongamentos leves podem sim trazer um leve benefício e conforto para a musculatura. 

Principais benefícios

Em resumo, os benefícios do alongamento em indivíduos que não apresentam patologias, como as neurológicas, por exemplo, são melhora da mobilidade em longo prazo de acordo com um programa de exercícios e relaxamento muscular momentâneo.

Indicações

O alongamento é indicado para pessoas que apresentam encurtamento muscular e falta de flexibilidade. Ele pode ajudar no relaxamento destes músculos e consequentemente treiná-los a “aumentar a capacidade” de estiramento.

Contraindicações 

Estão contraindicados alguns alongamentos para pessoas que apresentam alguma condição dolorosa, como por exemplo, dor ciática. Em muitos casos o alongamento dos músculos posteriores das pernas pode agravar o caso. Nestes casos de condições específicas é sugerido diagnóstico orientação profissional para cada caso em específico.

Dicas de exercícios

Alguns alongamentos básicos podem ser realizados diariamente como:

  • Segurar a cabeça com uma das mãos e levemente puxá-la levando uma orelha em direção ao ombro;
  • De pé com o joelho dobrado segurar o pé com uma das mãos e tentar flexionar um pouco mais o joelho;
  • Deitado de barriga para cima, mantendo as pernas esticadas, trazer um joelho de cada vez em direção ao peito enquanto a outra perna se mantém esticada;
  • Ainda de pé pode-se fazer o alongamento da “batata da perna” apoiando a ponta dos pés em um degrau e deixando o calcanhar se mover para baixo.

Obs.: manter cada repetição por 30 segundos.

Bernardo Sampaio é o fisioterapeuta responsável pela Unidade de Guarulhos do ITC Vertebral e do Instituto Trata. É também diretor regional da Associação Brasileira de reabilitação de coluna – ABR Coluna. Graduado pela PUC- Campinas e com formação em osteopatia clínica pela Académie de Thérapie Manuelle Et Sportive (Belgica), o profissional também possui especialização em fisioterapia músculo esquelética, aprimoramento em membro superior e oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo.

Saiba mais em: www.institutotrata.com.br e www.itcvertebral.com.br


Postado em 23 de novembro por gugamachado

Tags:, , , ,

Será que eu preciso de roupas específicas para pedalar na cidade?

Com o aumento considerável do uso da bicicleta como meio de transporte ( e nós queremos que aumente cada dia mais!!!), algumas práticas de vestuário vinda do ciclismo esportivo estão sendo revistas, tais como o uso de roupas exclusivas de ciclismo, geralmente em tecidos justos e técnicos (dry fit), e que não possibilitam com que trabalhemos normalmente em nossos dias, a não ser que você seja profissional de alguma área esportiva.

Ao mesmo tempo, em muitas situações, é quase impossível tomar banho e mudar de roupa ao chegar em nossos trabalhos.  Porém, algumas características das roupas especializadas de ciclismo são muito desejadas em nossos deslocamentos, pois continuamos suando, continuamos tendo a necessidade de “chamar a atenção” no trânsito com cores vivas e algo reflexivo, bem como continuamos tendo a necessidade de pedalar com uma roupa relativamente elástica, que não impeça nossos movimentos, e que, se possível, tenha maior resistência em certas regiões mais forçadas…Afinal, que nunca rasgou o “cavalo” de uma calça jeans?

Foi pensando nisto que alguns fabricantes de roupas casuais começaram a se preocupar com este crescente nicho de mercado, procurando acrescentar estas características em suas coleções.

Hoje vamos falar da linha “Commuter” da tradicional Levi’s.

Lançada já a algum tempo no exterior, desde 2015 é possível conhecer e experimentar esta linha aqui no Brasil também!

E o melhor: esta coleção foi especialmente desenvolvida por ciclistas, para ciclistas. E acredite: isto faz toda a diferença!!!

As principais características tecnológicas das coleções são:

- Tecido em stretch para mobilidade e maior durabilidade;

- Repelente a água com tecnologia antimicrobiana para repelir odores;

- Refletividade para segurança, com reflexivos instalados de maneira discreta ao longo das peças;

- Novos tecidos termorreguladores, com bainha traseira mais baixa nas blusas, e cinturas mais altas nas calças.

Dito tudo isto, fica aqui a pergunta inicial: eu preciso de tudo isto para pedalar? Depende muito do seu uso (dificuldade do trajeto, clima da cidade, etc). Mas que estas características ajudam, ajudam e muito! Principalmente para os que não tem condições de chegar ao seu destino, tomar banho e trocar de roupa para continuar seu dia de trabalho.

Por aqui nós já testamos algumas peças destas, e adoramos! E confirmamos a realidade e utilidade de cada uma destas características!

Por exemplo, o fato dos tecidos serem repelentes a água e odores ajudam muito. Estes dias pegamos uma garoa leve onde a roupa (masculina, calça e camisa) se manteve quase intacta, isto é, sem transferir a humidade e nem apresentar mau cheiro após o uso.

Que outras marcas possam desenvolver linhas semelhantes a estas! Serão muito bem vindas!


Postado em 9 de novembro por gugamachado

Tags:, ,

Pilates pode te ajudar na bike!

O método Pilates traz inúmeros benefícios para o corpo e a mente. Utilizando mais de 450 exercícios que proporcionam ao praticante uma aula sempre diferenciada e dinâmica, é também uma atividade onde o impacto nas articulações é ausente.

Com cerca de 10 aulas, já é possível perceber mudanças. As cinco principais vantagens são:

1-) Fortalece a musculatura do corpo todo, principalmente a abdominal e a musculatura de sustentação da coluna, eliminando dores e alinhando a postura, muito comuns em longos pedais! ;

2-) Desenvolve a flexibilidade, a elasticidade muscular e a mobilidade articular;

3-) Estimula um melhor equilíbrio, coordenação e consciência corporal;

4-) Melhora a capacidade cardiorrespiratória e o desempenho sexual;

5-) Alivia problemas relacionados ao estresse, diminuindo a tensão e a fadiga.

Para praticar o pilates você deve ter no mínimo dez anos de idade, e não tem idade máxima. Os profissionais devidamente habilitados podem atender desde pessoas com limite de mobilidades e sedentários até atletas de alta performance.

O pilates pode se encaixar como programa de reabilitação, condicionamento físico, como também para em casos de doenças crônicas como: hérnia de disco, osteoporose, artrite e problemas de circulação.

Dentre as diversas situações em que o Pilates pode proporcionar melhorias, as mais frequentes são:

- Em idosos: recupera funções motoras perdidas, contribui na manutenção da pressão arterial, calcificação óssea, reestruturação postural, recuperação do controle das funções orgânicas e autonomia para o desenvolvimento das tarefas do dia a dia.

- Em gestantes: para facilitar o parto ou recuperar a forma física no pós-parto, fortalecer os abdominais e os músculos pélvicos, que ajudam no tratamento da incontinência urinário. Alterações na postura, (como cifose, escoliose e lordose), contribuindo para combater sua progressão e até melhorar as condições da mesma.

- Também pode ser associado a programas de condicionamento cardiorrespiratório de alta intensidade e programas de perda de peso.

Atualmente temos o “personal pilates”, um profissional capacitado para ir a sua residência, academia ou no seu trabalho para lhe atender com todo o conforto e comodidade.

Lembre-se: antes de praticar qualquer atividade física procure um médico para uma avaliação de seu estado geral e, sempre que possível, esteja acompanhado de um profissional de atividade física.

Agradecemos ao professor Rafael Alberti Roverso* pelo artigo acima!

* Licenciado e Bacharel em educação física, especialista em saúde e qualidade de vida, Experiência em prescrição de atividades física, em elaborar atividades de acordo com a necessidade individual de cada um. Personal Trainer, tem atuado em parques, academias, empresas e residências.

Rafael Roverso
CREF 141112-G/SP
cel: 11 9957-13386
Email: rsesportivaassessoria@gmail.com

 


Postado em 25 de outubro por gugamachado

Tags:, , , ,

O Que Acontece Quando Você Para de Pedalar?

Não deixe sua bicicleta pegando poeira!!!

Quando você para de pedalar….

…No primeiro dia:

Seu humor flutua “para baixo”… Minutos depois de iniciar o exercício, sua atividade neural acende seu cérebro como se fosse “uma máquina caça-níqueis em tilt completo”, o que não somente constrói seu cérebro (literalmente falando), mas também melhora o seu humor. O pesquisador neuroquímico J. David Glass da Kent State University relata que no momento em que os ratos de laboratório começam a pular e correr em suas rodas, eles recebem um aumento de serotonina de 100 a 200%, que é a mesma quantidade de aumento que os medicamentos antidepressivos necessitam para melhorar o nosso bem-estar e combater a depressão. Negar ao seu corpo esta possibilidade de melhoria natural através da pedalada, mesmo que por um dia, vai te deprimir, em especial se for um dia muito estressante.

Ao parar de pedalar seu metabolismo fica estagnado. Pedalar acelera o seu metabolismo em até cinco vezes acima da sua taxa de repouso durante o trabalho. Ainda quando você pedala, você queima entre 400 e 500 calorias por hora de atividade. Isso significa até 400 gramas de gordura por semana você poderia ter perdido, mas não o fez.

… Uma semana depois:

Sua pressão arterial aumenta. Exercícios aeróbicos tais como o ciclismo solicitam que o seu corpo libere hormônios que, além de outras funções, tornam seus vasos sanguíneos mais resistentes ao rompimento. Com as altas quantidades de sangue “bombando” através através de seu sistema, suas artérias e veias se manterão mais flexíveis. Os efeitos são rápidos e breves, ou seja, ocorrem quando você começa a pedalar e se encerram quando você para de pedalar. Pesquisas consideram que pedalar regularmente pode baixar sua pressão arterial em cerca de 8 (diastólica) a 10 (sistólica) pontos em um mês! Porém, ela começa a subir novamente depois de apenas uma semana que você fica “fora do selim”, sendo que você volta a sua condição inicial em apenas duas semanas.

Sua taxa de açúcar no sangue sofre muitos picos. Quando você pedala regularmente, seus músculos ficam famintos pelo açúcar que entra em sua corrente sanguínea depois que você come. Eles fazem isto para armazenar a energia para mais tarde. Depois de apenas cinco dias de inatividade, o açúcar “pós-refeição” simplesmente “permanece” em seu sangue, o que ao longo do tempo pode levar a doenças cardíacas e diabetes, segundo um estudo publicado na revista Medicine & Science in Sports & Exercise. Além do mais, as enzimas que processam a gordura e o açúcar presentes em sua corrente sanguínea começam a diminuir quando você fica sedentário, levando ao aumento das taxas de colesterol e açúcar.

… Duas a quatro semanas mais tarde:

Adeus ao volume de sangue aumentado … e ao seu condicionamento físico. A prática do ciclismo regular aumenta o volume de sangue e capacidade do seu corpo em utilizar o oxigênio que ela carrega. Depois de apenas um mês fora da bike, o seu volume de sangue cai quase 10 por cento. O seu volume de bombeamento (a quantidade de sangue que seu coração pode empurrar para fora por batida) cai 12 por cento. Suas mitocôndrias, que agem como fornos de produção de energia do seu corpo, começarão a diminuir a partir do desuso. O resultado final: seu V02 max- isto é, o seu “benchmark” de aptidão física – sofre uma queda de 6 por cento, deixando você bem menos condicionado do que algumas semanas antes.

… Mais de um mês depois:

Suas roupas ficam bem mais confortáveis quando você está em forma. Mas quando você fica sedentário,  o seu metabolismo diminui, diminuindo também a queima de gordura, fazendo sua reserva de gordura aumentar. Daí as roupas passam a nos “apertar”. Isto é sempre um bom indicativo que devemos retomar nossa rotina de exercícios. Um estudo publicado no “Journal of Strength and Conditioning Research” descobriu que nadadores que pararam de treinar durante cinco semanas aumentam consideravelmente seus pesos, suas medidas de cintura, resultando num aumento de suas gorduras corporais em 12 por cento, isto em apenas cinco semanas fora da piscina!

… Anos depois:

Sua saúde piora de muitas maneiras. Um estudo sobre gêmeos idênticos masculinos que tinham sido fisicamente ativo descobriu que quando um gêmeo parou de se exercitar regularmente por alguns anos, ele diferia consideravelmente em termos de saúde em comparação a seu irmão. Especificamente, ele foi significativamente mais fraco, tinha cerca de 3 quilos a mais de gordura corporal, tinha mais resistência à insulina, e tinha ainda menos massa cinzenta (leia-se: seu cérebro era menor) do que seu irmão fisicamente ativo.

A boa notícia é que não é preciso muito reverter este declínio rápido. A pesquisa mostrou que apenas sair para uma caminhada rápida uma vez ou duas vezes por semana pode ajudar a manter esses ganhos de condicionamento físico tão suado…

Se o seu  tempo está “apertado”, tente algum treinamento do tipo “funcional”, onde utilizamos o nosso próprio peso para nos exercitar em casa mesmo,  ou corridas/ pedaladas curtas, mas com intervalos de alta intensidade (pedale normalmente e depois de 5 minutos pedale por um minuto no limite do seu folego. Faça estes intervalos por cerca de 5 vezes, totalizando de 20 a 30 minutos de exercício).

Lembre-se que o importante é não ficar parado!!!


Postado em 19 de outubro por gugamachado

Tags:, ,

Tenha saúde e qualidade de vida!

Com o avanço da tecnologia a população não tem praticado atividades físicas. Isto se dá por diversos motivos, e um dos mais comuns são os celulares e aplicativos dinâmicos que tem tomado toda a atenção da população brasileira, mesmo sabendo que muitos desses avanços são benéficos.

Um dos fatores que vem preocupando os médicos são as doenças crônicas como o Diabetes, Hipertensão Arterial, Obesidade, Osteoporose, Câncer e Infarto. E todas elas vêm através da inatividade física, mais conhecida como sedentarismo.

Porém a nossa população tem vivido cada dia mais e as pessoas tem percebido que praticar alguma atividade física tem proporcionado prevenções de doenças e uma melhor qualidade de vida.

A prática de atividade física regular já faz parte da história da humanidade. Na civilização ocidental, podemos ter registros mais sólidos a partir da Segunda Guerra Mundial (1938-1945), com a massificação da atividade física.

Ao longo dos anos seguintes foram se aprimorando as pesquisas na área de saúde em todo mundo, ocorreram avanços na medicina, as sociedades progrediram aumentando assim a expectativa de vida geral da população. Segundo Lendzion, Nantes, Cieslak e Acordi (2002), a preocupação pela temática do envelhecimento só surgiu efetivamente no Brasil a partir de 1990.

Neste período, em razão do próprio envelhecimento da população, e da intervenção de acadêmicos e profissionais da área de saúde, educação e mesmo de direitos humanos, foi se alterando o modo de encarar a vida humana, as idades, e os próprios conceitos de velhice e terceira idade, que avançaram no tempo.

Portanto, o conceito sobre a necessidade da prática de atividade física continua em mutação, também, devido às mudanças da expectativa de vida populacional, do aumento do sedentarismo, do pouco conhecimento sobre prevenção de doenças crônicas degenerativas e da baixa qualidade de vida.

Hoje em dia, podemos constatar que a prática regular de atividade física funciona e muitas vezes é encarada como “mecanismo de prevenção”. A atividade física tem papel fundamental, podendo desacelerar as alterações fisiológicas do envelhecimento e das doenças crônico degenerativas” (FEDERIGUI, 1995, apud MOREIRA, 2001, p.13). Para que essa prevenção ocorra é importante agir na fase em que se inicia a maior parte dos decréscimos fisiológicos, que é a vida adulta intermediária (40–60 anos), fase anterior a terceira idade, quando não somos considerados velhos nem jovens.

Praticar atividades físicas acompanhada por um profissional de educação física devidamente registrada no CREF é super importante para sua vida e para sua saúde.

Com base em estudos as atividades físicas que você deve procurar praticar, de preferência através de um profissional de educação física são:

- Bike

- Corrida

- Alongamento

- Atividades Multifuncionais

- Pilates

- Musculação.

Lembre-se: antes de praticar qualquer atividade física procure um médico para uma avaliação de seu estado geral e, sempre que possível, esteja acompanhado de um profissional de atividade física.

Agradecemos ao professor Rafael Alberti Roverso* pelo artigo acima!

* Licenciado e Bacharel em educação física, especialista em saúde e qualidade de vida, Experiência em prescrição de atividades física, em elaborar atividades de acordo com a necessidade individual de cada um. Personal Trainer, tem atuado em parques, academias, empresas e residências.

Rafael Roverso
CREF 141112-G/SP
cel: 11 9957-13386
Email: rsesportivaassessoria@gmail.com


Postado em 11 de outubro por Eu Vou de Bike

Tags:,

Dicas para transportar crianças na bike

Neste último domingo tive a oportunidade de passear pela Ciclofaixa de São Paulo e por alguns parques da cidade – Ibirapuera, Parque do Povo e Parque das Bicicletas – em um horário de “gente normal”, por volta das 10h. Normalmente pedalo muito mais cedo e a essa hora já estou pronto para os compromissos familiares de domingo.

Neste passeio, pude constatar o quanto o pessoal tem aproveitado esta oportunidade de pedalar livremente e com segurança pelas ruas de São Paulo, algo impensável tempos atrás. Falando em tempos atrás, lembrei-me de como a minha filha adorava quando eu passeava com ela em minha bike, na época equipada com uma cadeirinha especial.

Crianças nas bikes

Pedalando pelos parques, me surpreendi com a quantidade de pessoas levando os pequeninos para um passeio. Mas notei também que alguns não estavam equipados adequadamente, pondo em risco a segurança do condutor e, principalmente, a segurança da criança, e assim resolvi escrever este post.

Todas as crianças que conheci adoram “dar um rolê” nas cadeirinhas! E para isto, nosso cuidado se inicia tanto no momento da escolha do sistema a ser utilizado, quanto na fixação do mesmo.

Infelizmente, não existem normas ABNT e nem do Inmetro com relação às cadeirinhas para transporte. Assim, o ideal é optar por algum equipamento que tenha certificação internacional e que seja de marca conhecida – Topeak, Polisport, Isapa -, evitando as cadeirinhas “de fundo de quintal”. Além disso, fique muito atento ao manual para fixação, que deve ser “seguido à risca”, evitando adaptações ou gambiarras.

Para o passeio dos pequenos, tanto faz o sistema de transporte dianteiro ou traseiro – eu já vi ciclistas andando com os dois ao mesmo tempo! Na minha opinião, a partir de minhas observações, as crianças curtem mais ir na cadeirinha da frente, observando melhor o percurso. Mas reafirmo que isto é meu conceito subjetivo.

O fato é que na hora da compra devemos checar se a cadeirinha se adapta bem ao modelo de nossa bike. Se puder, leve sua bicicleta e a criança que será transportada ao local da compra para ver se o conjunto se “encaixa” perfeitamente, evitando gambiarras. Se possível, opte pelos modelos do tipo “concha”, que envolvem toda a lateral do corpo da criança, evitando lesões em caso de queda.

Assim como o condutor da bike, as crianças também devem usar capacete específico para os pequenos. Estes itens são facilmente encontrados nas boas bike shops. Há inclusive um modelo que já vem com canetinhas para que a própria criança customize seu capacete!

A cadeirinha deve estar sempre adaptada ao peso e ao tamanho da criança. Normalmente, a dianteira é feita para crianças de até 15 quilos e a traseira é usada para crianças de até 22 quilos. Além do peso, verifique o tamanho e veja se a criança não está muito apertada no equipamento.

Para carregar seu filho ou filha na bike, o ideal é começar devagar e treinar o transporte em percursos menores. A condução da bike fica bastante alterada devido ao acréscimo de peso e a mudança no centro de gravidade. Mas com certeza esse esforço de adaptação vale a pena!

Pedale sempre defensivamente e em velocidade de passeio. Lembre-se que qualquer ocorrência pode significar um trauma que pode afastar o pequeno das duas rodas – e definitivamente não queremos isto!

Então aproveite o feriado prolongado e leve seus pequenos queridos para uma volta!

* Por Guga Machado


Postado em 28 de setembro por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

Veja dicas para sair do sedentarismo

Os grandes centros urbanos, com a sua automatização progressiva, fazem com que o estilo de vida do ser humano seja direcionado para diminuir a realização de atividades que envolvam um aumento do gasto energético, pois as inovações tecnológicas são cada vez mais voltadas para facilitar a vida do indivíduo.

Porém, a consequência desta comodidade é que, com a diminuição do gasto calórico, aparecem doenças relacionadas ao sedentarismo tais como o diabetes, a hipertensão arterial, a depressão, a obesidade, o câncer, o infarto agudo, a osteoporose e as doenças pulmonares.

Podemos definir como sedentária a pessoa que anda ou se exercita pouco, ou seja, inativa. Sedentarismo é a queima de menos de 2.200 calorias por semana em atividades físicas ou a ausência de prática de atividade física leve por menos de 30 minutos diariamente.

Existem outros fatores significantes que favorecem esta escolha do individuo em não se exercitar regularmente tais como: a falta de segurança urbana, que acaba sendo um obstáculo para quem pretende fazer atividades físicas, a redução de alimentos preparados em casa em detrimentos aos industrializados, o aumento do consumo de refrigerantes e bebidas alcoólicas, a redução do gasto de energia no trabalho e a utilização cada vez maior de automóveis.

O exercício físico atua diminuindo o estresss emocional, reduzindo a gordura corporal, aumentando a massa muscular e a densidade óssea, melhorando o desempenho do sistema cardiorespiratório e imunológico. Enfim, aprimorando a aptidão física para uma boa qualidade de vida.

Segundo trabalhos científicos recentes, praticar atividades físicas por um período mínimo de 30 minutos diariamente, contínuos ou acumulados, é a dose suficiente para prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida. Tornar-se ativo pode ser uma tarefa muito difícil, porém não de todo impossível. As alternativas disponíveis muitas vezes estão ao alcance das pessoas, porém passam despercebidas.

Aumentar o gasto calórico semanal pode se tornar possível simplesmente reagindo aos confortos da vida moderna. Como exemplos disto temos:

- Ao chegar a casa ou no trabalho, se residir em edifícios, descer do elevador 3 a 4 andares antes e subir o restante de escada. Deste modo o metabolismo aumentará e junto com ele o gasto de calorias.

- Utilizar menos o controle remoto para mudar o canal da TV. Isto faz com que haja um gasto de energia ao levantar do sofá ou cadeira para se locomover até o aparelho.

- Estacionar o automóvel intencionalmente num local mais distante do lugar de destino. Desta forma, o fato de caminhar uma maior distância já estimula um maior gasto de calorias.

- Dispensar o uso da escada rolante no shopping center ou em lugares que a possuam, estimulando-se assim o hábito de praticar atividade física.

- Ao utilizar transporte público descer um ponto antes do trabalho e caminhar o restante do percurso.

- Ir trabalhar de bicicleta ou fazer uso regular da mesma como meio de transporte. Se trabalhar próximo ao metrô, verifique se a estação possui bicicletário para empréstimo ou estacionamento para bicicletas. Deste modo, o consumo de calorias do corpo humano aumentará e as doenças relacionadas ao sedentarismo serão prevenidas.

Estas atividades, apesar de parecerem simples, estimulam o aumento do metabolismo corporal.

Com relação ao gasto total de calorias por indivíduo, é necessário saber a idade, peso, altura, sexo, porcentual de massa muscular e tecido adiposo para se determinar com mais propriedade os valores individuais de cada pessoa. Mas o mais importante é se movimentar o suficiente para aumentar o consumo calórico pelo corpo, aumentando assim o metabolismo basal.

Portanto, estas são algumas alternativas que podem compor uma simples mudança de hábitos, podendo ser praticadas em locais abertos, não sendo assim necessária a prática em locais específicos, como academias e parques.

Lembre-se sempre de consultar-se com um médico antes de iniciar qualquer atividade física e procure a orientação de um profissional da área de Educação Física para saber qual é a intensidade mais adequada para você.

Por Luis Gustavo Corrêa Leite
Licenciado em Educação Física, com Pós-Graduação em Biomecânica Aplicada a Atividade Física e Saúde, possuindo 10 anos de experiência na prescrição de atividade física com ênfase nas áreas de Musculação e Personal Trainning para as diferentes faixas etárias da população, atuando em academias, residências e espaços de prática outdoor de atividade física.


Postado em 25 de setembro por gugamachado

Tags:,

Veja como foi o último dia da Brasil Cycle Fair!

Tech Cycle Challenge premia solução tecnológica em mobilidade dentro da Brasil Cycle Fair

O que mobilidade urbana, feira e tecnologia tem a ver? Na Brasil Cycle Fair, tudo! Pelo menos foi assim na última edição da feira. Empreendedores, apaixonados por tecnologia e sustentabilidade foram selecionados para uma maratona de programação, prototipagem e colaboração – conhecida como Hackathon. O Tech Cycle Challenge teve como objetivo reunir durante às 10h do dia 23 e às 19h do dia 24 especialistas em mobilidade para trabalhar no desenvolvimento de plataformas digitais.

Os projetos incluíram a criação de aplicativos, chatbot e sistemas que trouxeram mais tecnologia para o setor. Um dos exemplos é o CicloBusca, que por meio de uma plataforma colaborativa – inicialmente um site – procura conectar ciclistas a bicicletários e estabelecimentos, como academias, que os permitam utilizar o vestiário por um preço acessível. “Uma dor real dos ciclistas é sair ter que ir até um lugar e não ter onde deixar a bicicleta ou não ter lugar para tomar banho”, explica um dos participantes, o designer paulistano Hugo Santos, de 26 anos.

Por falar em preço acessível, a iniciativa FXD nasceu como um “incentivo econômico de ajudar o ciclista a reverter o dinheiro do bilhete único par uma carteira virtual. Assim ajuda a economizar cada vez que ele vai de bike para o trabalho ou a escola, permitindo reverter aquilo para a própria manutenção da bicicleta”, explica o responsável pelo marketing do projeto, Ian Oliveira, de 18 anos. Participaram outros dois projetos.

Sobre o formato do Hackathon, que normalmente é feito em espaços isolados ou eventos exclusivos para a ação, a escolha da BCF surpreendeu os participantes. “É o primeiro modelo que participo assim. Pois nunca foi em um evento, sempre foi exclusivo pra gente. Eu achei muito legal. Dá para você sair e fazer pesquisa de campo aqui mesmo. Eu achei perfeito!”, opina o estudante de Design Digital Cesar Oliveira, de 19 anos, que é desenvolvedor e também programador do projeto Iobik, que foi o vencedor.

Cesar e os outros três participantes da sua equipe apresentaram a ideia a uma banca avaliadora, que os elegeu vencedores. O prêmio foi uma bike por participante.

Brasil Cycle Fair e CIMTB Levorin fazem história e apresentam mountain bike aos paulistanos

A primeira prova de XCO na capital paulista, uma corrida noturna pelo Jardim Botânico e o short track diante do público: a Copa Internacional Levorin de Mountain Bike dentro da Brasil Cycle Fair foi um sucesso como um todo. Desde a torcida, passando pela organização até chegar aos atletas, o evento recebeu aplausos de quem participou e compareceu. O que fica é a vontade de fazer tudo de novo.

“Foi exatamente como eu sonhava. Sinceramente, eu esperava que fosse tão maravilhoso quanto foi e poderia ser. Deu tudo certo no planejamento que nós fizemos e ocorreu tudo conforme era esperado. A recepção do público foi muito bacana. Mesmo sem eles terem como ver a prova de dentro da pista, pois é uma área de preservação ambiental onde ninguém pode entrar e, assim como nós, todos respeitaram muito isso. Mas na parte externa, em 2018, nós faremos mais e ainda maiores atrações para receber às pessoas. Atletas, torcida, equipe, estão todos de parabéns. E ano que vem estaremos de volta”, comenta Rogério Bernardes, organizador da CIMTB Levorin.

 

Público lota Arena BMX e vê Doguete ser campeão do Super Spine na Brasil Cycle Fair

Com direito à torcida de todas as tribos do público apaixonado por bicicleta, Douglas Leite, o “Doguete” foi o vencedor da etapa de BMX Super Spine realizada neste domingo (24), durante o Festival da Brasil Cycle Fair. A competição chamou a atenção da maioria das pessoas que passavam pelos corredores, impressionadas pelas manobras dos atletas.

“Eu amo BMX. Estou sempre aqui curtindo com os amigos e, felizmente, consegui uma boa volta e terminar em primeiro lugar na disputa. Estou muito feliz. A feira foi simplesmente sensacional, o público lotou e é gratificante ver isso. É o público que faz o esporte crescer, então essa presença é muito importante”, disse Doguete, o campeão da etapa.

Para André Ribeiro, organizador da etapa, o resultado superou as expectativas e só confirmou os planos de voltar à maior feira de bicicletas da América Latina em 2018.

“Foi muito bacana, pois reunimos os melhores atletas do Brasil e do mundo na etapa. Também conseguimos levar o BMX para diferentes tribos de pessoas que gostam da bicicleta e isso é uma das coisas mais legais que o esporte proporciona. A pessoa que gosta de bike, às vezes começou no BMX e migrou para o MTB ou até fez o caminho contrário. O evento foi um sucesso, o público compareceu e só tivemos feedbacks positivos. A ideia agora é fazer outra etapa no ano que vem”, completa André Ribeiro.

Bikes artesanais e arte voltada para a mobilidade ganham espaço exclusivo na BCF

Diferente das edições anteriores, as Arenas Handmade e Cultural deram espaço de destaque para valorizar a exposição e venda de bicicletas produzidas artesanalmente, bem como obras de artistas plásticos sob a temática da mobilidade. Foi o caso da empresa Art Bike Bambu que expôs as bicicletas de bambu no Espaço Handmade.

“Para os pequenos produtores como nós, que não têm uma fábrica e fazem um trabalho artesanal, ter uma área exclusiva dentro da Brasil Cycle Fair é muito importante. No nosso caso, que produzimos bicicletas de bambu, a curiosidade do público que passa por aqui é bem grande. Alguns perguntam se a bicicleta é de verdade, outros param, olham e colocam a mão na bike para ter a certeza. Quem andou, gostou!”, disse o expositor da marca, Sérgio Wicket.

Ao que parece, as reações do público têm sido bastante positivas quando ao espaço localizado na área externa do pavilhão do São Paulo Expo. “Com a expansão da bicicleta na cidade, um evento trazer arte voltada para a bike e a mobilidade é uma forma muito importante de difusão. Eu gosto e tenho obras só de artistas independentes, pois penso muito na valorização deles. Outra coisa que aprendi a gostar é a bicicleta. Unir os dois foi uma iniciativa muito bacana”, opinou o corretor de valores André Luiz Okamura, de 32 anos, que visitou o último dia de Feira a lazer.

 Que vença o mais devagar! Desafio Slow Rider premia quem leva mais tempo para completar percurso 

30 minutos foi o tempo que o vencedor levou para completar um percurso de pouco mais de 10 metros durante o Desafio Slow Rider, uma das atrações da Brasil Cycle Fair. Parece estranho em pensar em vagareza num esporte que valoriza o alto desempenho, quem chega primeiro e no qual milésimos de segundos fazem diferença, não é mesmo?

Mas, como explica Guga Machado, Diretor do Bicicleta para Todos e organizador da prova, “o que a gente está medindo mesmo é o equilíbrio e a destreza das pessoas, pois ela não pode pôr o pé no chão e nem encostar na pista que é demarcada por cones, né? Isso já vem de uma tradição especialmente do pessoal da bicicleta fixa. Então, tem todo ano um evento chamado Bicicultura e sempre costuma ter essa prova e a gente resolveu trazer ela esse ano para dentro da BCF”.

Algumas marcas também apoiaram o desafio, premiando os participantes. O grande vencedor levou para casa um dos modelos de bicicleta da Houston.

 

 


Postado em 24 de setembro por gugamachado

Tags:,

Com apoio da torcida paulistana, Copa Internacional Levorin de Mountain Bike ganha ainda mais força em São Paulo-SP

A primeira prova de mountain bike XCO realizada em São Paulo-SP foi um sucesso. O público presente na Brasil Cycle Fair cercou a pista da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike durante a largada e, ao som de gritos de incentivo, palmas e muito barulho da torcida, os atletas pedalaram forte sentido o Jardim Botânico, até a chegada de volta à maior feira de bicicletas da América Latina. A missão de levar a bicicleta como esporte à capital paulista foi cumprida.

 

“Foi tudo muito intenso com os atletas de fora atacando o tempo inteiro. Uma prova dura, mas muito divertida também. Gostei bastante. Disputar uma prova da Copa Internacional em São Paulo-SP e dentro da Brasil Cycle Fair é uma oportunidade muito bacana. Agora é descansar e encarar o Short Track amanhã”, disse Luiz Henrique Cocuzzi, atleta Scott da Equipe Lar e vencedor da etapa.

Secretário de Transportes de São Paulo participa do lançamento do Projeto internacional Bicycle Mayor e incentiva a mobilidade urbana na cidade

Projeto implantado em Amsterdã, Sidney, México e outros países, o Bicycle Mayor chegou à São Paulo e foi lançado oficialmente na Brasil Cycle Fair. Em cada um desses locais foram escolhidas ativistas que passaram a ser nomeadas os “Prefeitos da Bike”.

Com objetivo de expandir o ciclismo nas cidades atingindo mais de 1 bilhão de pessoas pedalando, participaram da apresentação de lançamento o Secretário de Transportes de São Paulo, Sérgio Avelleda, Nanna Stolze, Cônsul Geral Adjunta do Reino dos Países Baixos na capital paulista, e o ativista JP Amaral, do Bike Anjo escolhido para representar a cidade de São Paulo.

“É uma iniciativa muito interessante. Eu estive na Holanda, em Velo-city, e vi lá todas as indicações dos ‘mayors’ do mundo. É muito importante ter uma pessoa qualificada, credenciada internacionalmente para qualificar a discussão sobre a bicicleta. A nossa administração tem uma visão de aumentar o número de ciclistas e aumentar a participação da bicicleta na matriz de transporte da cidade de São Paulo, tanto para os fins da mobilidade, como também para lazer. As portas da secretaria estão abertas para bater um papo, conversar e ajudar nas políticas públicas”, disse o Secretário de Transportes de São Paulo.

JP Amaral, escolhido para representar a cidade paulistana, está feliz com o novo “cargo” e diz que o objetivo é “dar visibilidade ao ciclista paulistano, mostrar a diversidade dos ciclistas” e, para isto, conta também com o importante apoio da Prefeitura.

Segundo dia da Brasil Cycle Fair abre com lançamentos e bicicletas com pedal assistido são destaque

Os visitantes da Brasil Cycle Fair tiveram a oportunidade de ver de perto bicicletas, alforjes, roupas, acessórios e outas novidades das principais marcas do mercado. Bicicletas urbanas e de mountain bike se destacaram ao ganhar o pedal assistido e fizeram sucesso entre os visitantes.

“Eu vim para conferir as novidades e ver de perto marcas que só consigo ver nas revistas. O que me chamou mais atenção foram as bicicletas que têm a tecnologia de pedal assistido. Eu achei muito bacana. Nunca tive a oportunidade de pedalar uma dessas e hoje andei em várias marcas e matei minha curiosidade de ver o quanto ela é eficiente. O evento está muito dez”, contou Francisco Junior, de Piracicaba-SP.

As marcas expositoras da feira também ficaram felizes com a procura pelo produto e apostam no sucesso deste modelo. “Eu não tenho dúvida que esse modelo é uma tendência, não só pela Pedalla. Há uma conscientização do brasileiro em buscar uma alternativa de meio de transporte, além da oportunidade de aliar uma atividade que proporciona prazer e que melhora a saúde através do exercício”, comenta José Eugênio Pinheiro, diretor da marca Pedalla, que está inaugurando oficialmente a marca para mercado brasileiro na Brasil Cycle Fair.

A procura pelo pedal assistido da marca foi enorme e, segundo o diretor, em apenas 2 dias, quase 400 pessoas experimentaram a experiência de pedalar uma bicicleta, com uma ajuda elétrica.

Do lado de dentro de pavilhão, os negócios continuaram ainda mais aquecidos entre os expositores e os profissionais do setor. “Os produtos representam uma melhoria para o mercado que ajuda muito no desenvolvimento do ciclismo como um todo. Como mecânico de bicicletas, é muito importante estar atualizado, pois não podemos ficar parados na mesmice. Sempre precisamos de uma ferramenta ou peças novas para dar o melhor atendimento ao cliente. Eu, por exemplo, comprei uma relação aqui na feira e estou muito feliz”, Gildazio Franklin, proprietário da loja Galera Bike, em Aguaí-SP.

Desafio Slow Rider: o ciclista que demorar mais tempo para terminar o percurso, vence

No terceiro e último dia de evento será realizado um desafio no mínimo curioso. É normal em competições de esportes os atletas mais rápidos serem os primeiros colocados, porém no Slow Ride, o ciclista que demorar mais para completar o trajeto de 10 metros vence a disputa. Caso o competidor perca o equilíbrio e coloque o pé no chão, ele precisa voltar ao início do percurso. O Desafio Slow Ride começa às 13h30, na parte externa do evento e próxima a Área Kids, os estandes handmade e a pista da Copa Internacional Levorin de Mountain Bike.

Sessão de negócios estimula novas ideias e troca de experiências entre empresários 

Em parceria com o Sebrae-SP, a Brasil Cycle Fair realizou nesse sábado (23), a Sessão de Negócios. Com um formato dinâmico de reuniões comerciais, a ideia é promover a interação, troca de experiências e fomentar negócios entre empreendedores e empresários na feira. Durante a ação, cada empresário apresenta seu produto ou serviço aos outros participantes, que, depois, podem se conectar e compartilhar novas ideias.

“A troca de experiências foi muito positiva, pois tivemos vários outros ângulos de visões de negócios esclarecidos. Então, depois desse contato individual de cada empreendedor aqui presente, todos os objetivos foram atingidos”, analisou André Biffi, da loja Band Ciclo, que fica em Rondonópolis-MT.

Giro de Ideias oferece capacitação e conhecimento a profissionais de todo o Brasil

Tributação, experiência de compras, marketing e estratégias de vendas foram alguns dos temas abordados durante o segundo dia do Giro de Ideias, espaço localizado dentro pavilhão e dedicado exclusivamente à atualização e qualificação do profissional do setor. Para Paulo Fernando, que veio de Palmas-TO para assistir às palestras, esse tipo de ação é muito importante para o mercado.

“Para quem está pretendendo entrar no mercado, ter essas orientações é fundamental, pois você começa pelo um caminho mais correto, minimizando os erros e evitando tomar decisões que possam prejudicar o seu negócio. Foi isso que eu consegui extrair do Giro de Ideias. Posso dizer que todas as minhas expectativas foram atendidas”, disse o proprietário da loja Jammil Bikes.

Serviço:

Data: 23 a 24 de setembro de 2017

Local: São Paulo Expo

Endereço: Rodovia dos Imigrantes, KM 1,5 | São Paulo | Brasil

www.brasilcyclefair.com.br

 

Sobre A Brasil Cycle Fair

A Brasil Cycle Fair é o principal evento de bicicletas da América Latina e o ponto de encontro para todos os interessados no setor. O evento possui um papel importante para a aproximação do mercado, estreitando relacionamentos entre expositores, consumidores e apaixonados por bicicleta. Além disso, contribui para o crescimento do setor e apresenta lançamento de tendências, produtos e serviços. O evento, que movimenta o mercado de bicicletas, reúne lojistas, indústrias, distribuidores, fornecedores e consumidores finais. 

 



Próxima