Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 15 de agosto por gugamachado

Tags:, , ,

Já ouviu falar nos “wearables”?

Por definição, wearables (ou “vestíveis”) são roupas e acessórios que incorporam computadores ou alguma tecnologia avançada, apresentando então muitas características extras que podem ser capazes de medir desde seus passos, até seus batimentos cardíacos!

Por aqui somos muito “fãs” de tecnologia! Dito isto, pretendemos iniciar por aqui uma série de posts falando sobre este novo e vasto mundo dos “wearables”, trazendo, sempre que possível, uma experiência de uso. Aliás, se você é usuário desta tecnologia, nos escreva contando sobre sua experiência que teremos o maior prazer de publicar!

Vamos iniciar por aqui com um equipamento totalmente voltado ao fitness. Trata-se do “Basis Peak“. Este gadget é fruto da Basis, que por sua vez funciona como uma divisão da Intel voltada ao universo saúde/fitness (n.e.: neste momento o Basis passa por um recall devido a aquecimento de 0.2% das unidades vendidas).

O Basis Peak é um smartwatch com tela “Gorila Glass 3″ do tipo “touchscreen”, com caixa em alumínio e pulseira de borracha, bastante confortável, com vários sensores que ficam atrás da caixa do relógio. Além dos tradicionais sensores do tipo acelerômetro e afins, ele tem um sensor que mede nossa frequência cardíaca 24 horas por dia, além de um sensor de transpiração e de temperatura corporal, para determinar com mais realidade nosso gasto calórico diário. E comparando a acuidade dele com um frequencímetro dedicado do tipo “Polar”, por exemplo, a acuidade é ótima! Na maioria das vezes a diferença era de um a dois batimentos a menos do que os registrados pelo sistema cinta-relógio do Polar. Isto sem contar a conveniência de não precisar de nenhum acessório (cinta e afins) além do relógio.

Em relação ao hardware, um fator que o destaca da concorrência é ele ser a prova d’água até 5 ATMs (50 metros), além da ótima duração da bateria, em média 6 dias de uso. Ele é carregado via USB através de um cradle (carinhosamente apelidado pela minha esposa de bercinho), e em cerca de 2 horas de carga já está com sua bateria no máximo.

Outra coisa muito positiva é o fato dele, através do sistema proprietário “Body IQ”, reconhecer e registrar automaticamente a sua caminhada, corrida ou pedalada, bem como quando você cochila ou dorme. Ou seja, você nem precisa acioná-lo ao iniciar estas atividades!

Ele tem ainda sistema de iluminação noturna, acesso rápido a sua frequência cardíaca,  data, cronometro e um alarme silencioso que te acorda vibrando conforme seu batimento cardíaco. Quando pareado via Bluetooth com seu smartphone, ele é capaz ainda de exibir suas notificações de seus apps (Twitter, Facebook, SMS, iMessage, WhatsApp) bem como suas chamadas no celular, as quais você pode recusar a partir do relógio.

Falando nesta sincronia, o Basis Peak possui um belo app (versões para iOS e Android) que registra todas as suas atividades e as mostra em gráficos bem completos, ou resumidos, se você preferir. Você pode ver sua quantidade de passos diários, seu gasto calórico e como foi sua noite de sono de uma maneira simples e intuitiva. Estas informações também são disponíveis via web pelo seu browser preferido, via “webapp” sincronizado pelo app do smartphone.

Em sua segunda geração, o Basis Peak recebe upgrades de firmware constantemente que vão ampliando suas funções, sobre o mesmo hardware. Achei isto demais! No último upgrade ganhamos a capacidade de controlar a midia em nossos smartphones, além de conseguirmos quantificar manualmente outras atividades físicas, tais como treinos de musculação/força e circuitos de cardio, por exemplo. O único ponto negativo ao meu ver é que o gadget incomoda um pouco na hora de dormir, devido ao seu volume. Neste sentido, outros wearables como o Fitbit devem ser mais confortáveis.

Aguardem em breve novo post sobre “wearables”! Se tiver alguma sugestão de equipamento para testar, deixe aqui nos comentários!

n.e.: este post foi originalmente publicado aquí no blog da querida Beatriz Kunze, a Garota Sem Fio! Valeu, Bia!