Houston na web Youtube Flickr RSS

Blog Vou de Bike

Postado em 6 de setembro por Eu Vou de Bike

Tags:, , , , ,

O que é viajar de bicicleta?

O que é viajar de bicicleta? O vídeo abaixo tem algumas respostas…

Veja a tradução abaixo

O que é viajar de bicicleta?
Viajar de bicicleta não é sobre a bicicleta
É sobre ir devagar
Explorar seu país e vê-lo pela primeira vez
É sobre fazer alguma coisa que você achava que não conseguiria
É sobre pedalar a algum lugar que você nunca esteve
É sobre subir lentamente uma montanha
E depois descer voando
É sobre viajar com os amigos
E fazer novos amigos no caminho
É sobre barraquinhas de frutas no acostamento
E descobrir as melhores refeições que você já fez
É sobre se perder para se encontrar
Mas acima de tudo, viajar de bicicleta é sobre pessoas
Compartilhar histórias com outros viajantes
E dar risada com os locais
Porque quando você viaja de bicicleta, é impossível não sorrir
E as pessoas sorriem de volta
Viaje de bicicleta. Viva mais.

Gostou do vídeo? Bateu a inspiração para sair por aí pedalando pelas estradas do Brasil e do mundo? Então você precisa conhecer mais sobre o cicloturismo, uma prática já bem comum na Europa, mas ainda pouco popular no Brasil, principalmente por conta da falta de estrutura para os cicloturistas nas estradas.

Existem várias modalidades do cicloturismo, desde aquelas em que o ciclista viaja por vários dias, semanas ou meses até um destino estabelecido ou, nos casos mais comuns, quando o ciclista tira um dia ou fim de semana para conhecer alguma cidade turística perto de sua casa.

Existem vários sites especializados em cicloturismo, como o Clube do Cicloturismo, com dicas de roteiros e dicas práticas para quem quer fazer a viagem sem muitos percalços. É um bom ponto de partida para quem quer experimentar uma das formas mais livres de se conhecer outras regiões.

- O vídeo foi encontrado no Pedaleiro


Postado em 13 de julho por gugamachado

Tags:, , , ,

Filmando o Rolê (parte 1)

 

Atualmente, a maioria da pessoas carrega no bolso uma camera fotográfica/filmadora com qualidade bem razoável, pronta para ser utilizada em qualquer ocasião!

Porém, quando falamos em filmar nosso rolê de bike, a exigência do equipamento aumenta consideravelmente, uma vez que, dentre outras coisas, uma camera adequada para esta finalidade precisa ser resistente e ter uma certa estabilidade de imagens. Daí caímos na categoria das “action cams”, cujo numero de modelos e fabricantes vem crescendo a cada dia.

Recentemente, a Sony do Brasil gentilmente nos presenteou com uma camera deste tipo, que dentre muitos recursos, filma com a altíssima resolução 4K.

Nossa idéia é fazer uma série de posts com dicas de filmagem e utilização destas cameras em nossa prática diária, quer seja numa aventura, num passeio, ou num deslocamento como transporte!

Começando por este último uso, com o recente aumento da presença das bicicletas nos grandes centros urbanos, em especial na cidade de São Paulo, temos testemunhado também uma certa dificuldade no convívio entre motoristas e ciclistas. Inclusive com xingamentos e com as criminosas “finas educativas”….

E uma maneira de se prevenir ou mesmo de registrar este tipo de conduta é utilizar uma camera ostensivamente presa em nosso capacete ou bicicleta, gravando nosso trajeto todo o tempo, em modo “loop” (mais adiante falaremos sobre isto), como uma verdadeira camera fixa de segurança!

Nestes dias temos feito este tipo de utilização, e, acreditem, ela funciona! Além dos possíveis agressores se sentirem “inibidos” com a possibilidade de serem filmados ao cometerem alguma infração (afinal, esta é, ou ao menos deveria ser, a função dos radares), se realmente formos vitimados, temos a possibilidade de uma defesa mais documentada!

E, em tempos de youtube e redes sociais, podemos até “educar” outros motoristas através destes vídeos! Mostrar como conviver com ciclistas, e principalmente o que não se deve fazer nesta convivência!

Nada melhor do que se colocar na “pele” do outro. Recentemente, uma empresa de ônibus de Recife colocou seus motoristas para pedalarem em bicicletas estáticas, enquanto outros motoristas  de ônibus passavam a 50 cm destes. Veja o resultado deste “experimento” aqui…

 

Então, nossa primeira dica é utilizar uma filmadora em loop recording (gravação em ciclos), que é um modo de filmagem semelhante a das cameras de segurança, onde não precisamos nos preocupar com “descarregar” as imagens para liberar memória, pois quando a camera atinge seu limite, ela inicia a gravação automaticamente do início do cartão. Nosso modelo tem este recurso, que você também encontra em cameras mais simples e mais baratas.

Portanto, ao selecionar seu equipamento, veja se ele tem esta característica!

E como diz o ditado, uma imagem vale mais que mil palavras!

#sonyactioncam

#registreoextremo


Postado em 29 de junho por Eu Vou de Bike

Tags:, , , ,

Dicas para filmar o passeio de bicicleta

Com a popularização das câmeras (e celulares) que gravam vídeos em alta qualidade, os vídeos de pessoas pedalando por aí se multiplicam pela internet. E mesmo se você não for um ciclista ou cinegrafista profissional, é possível gravar vídeos sensacionais!

O site Photojojo publicou um tutorial muito simples para você montar um suporte para câmeras na bicicleta. Este suporte consegue carregar uma câmera simples, daquelas ‘point and shoot’, mas também serve para aparelhos um pouco maiores.

No total, o suporte sai por cerca de R$ 20 e pode ser instalado em menos de 20 minutos! No tutorial, eles usam uma argola feita para segurar a lanterna da bicicleta adaptada para receber um parafuso na largura padrão do espaço encontrado nas câmeras digitais (veja o tutorial completo).


O suporte construído pelo Photojojo fica assim

Veja um vídeo gravado com o suporte:

Outra opção para carregar uma câmera durante a pedalada é o tripé flexível ‘GorillaPod‘, que pode ser adaptado para ficar preso ao guidão da bicicleta. O GorillaPod pode ser encontrado em lojas de fotografia e eletrônicos (e também online).

Veja um exemplo abaixo:

O maior problema dessas duas opções é que o vídeo pode ficar bem tremido, dependendo da firmeza do suporte e da superfície pedalada. Uma solução um pouco mais profissional é a câmera acoplada ao capacete.

Em breve iniciaremos uma série de posts com mais dicas e idéias sobre este assunto, com apoio da Sony, utilizando uma camera da linha “Action Cam” deles! Aguardem as novidades!

E você, tem alguma dica para gravar vídeos enquanto pedala? Compartilhe!


Postado em 23 de fevereiro por Eu Vou de Bike

Tags:, , , , ,

Como trocar o pneu furado da bicicleta

Imagine que você está pedalando e seu pneu fura no meio do passeio. Que tristeza, não? Infelizmente esta é uma emergência mecânica muito mais comum do que a gente imagina. Dificilmente quem pedala nunca foi vítima do famigerado pneu furado.

Neste tutorial explicaremos como trocar a câmara enchendo-a tanto com a bomba de ar convencional como com a bomba de CO2, simulando o problema tanto na roda dianteira (mais simples), quanto na traseira (normalmente mais complicada, principalmente se sua bicicleta tiver transmissão). No próximo tutorial ensinaremos como fazer um reparo (remendo) na câmara.

Para que você não seja pego de surpresa com um imprevisto deste tipo, o ideal é sair de casa com um kit de reparação, que pode variar um pouco conforme as necessidades e o trajeto a ser percorrido. Se for um passeio rápido pela cidade, o kit é mais simples. Se for uma longa cicloviagem, o ideal é ter um kit mais completo.

Um kit de reparos de pneus é composto por:

- Canivete de ferramentas para bicicleta multifunção, facilmente encontrado nas bikeshops e grandes magazines de esporte*;
- Bomba de ar para bicicleta**;
- Kit de reparo de câmara;
- Câmara de ar reserva;
- Bomba de CO2;
- Adaptador de válvula presta (mais fina, presente nas bicicletas mais especializadas) ou schrader (a mais comum, igual aos automóveis)***;
- espátula para remoção da câmara****.

* Não é necessário para o conserto do pneu. Porém, se for um canivete completo, ele pode conter as espátulas para a remoção da câmara (caso do utilizado em nosso tutorial). Além disto, este é um item indispensável para quaquer emergência mecânica;

** Hoje estes equipamentos são cada vez mais leves e portáteis, facilitando muito o transporte e manuseio;

*** Este adaptador se faz necessário caso sua bicicleta tenha uma válvula do tipo presta, porque as bombas localizadas em postos de gasolina estão preparadas para lidar somente com a válvula do tipo schrader;

**** Apenas se este item não estiver presente em seu canivete. Dê preferência para as espátulas feitas em plástico, pois as metálicas requerem muita habilidade no manuseio para não danificar os aros.


Exemplo de válvula do tipo “schrader”


Exemplo de válvula do tipo “presta”


Kit mais completo, capaz de realizar reparo ou substituição da câmara, tendo uma bomba dual, ou seja, funciona tanto como uma bomba convencional como uma bomba de CO2


Kit básico para substituição de câmara

Os kits acima prevêm duas situações: uma troca rápida ou um remendo na câmara. E a decisão sobre qual maneira realizar o conserto pode depender de vários fatores. Se seu pneu furou em um lugar perigoso e não há local seguro para o reparo, por exemplo, o ideal é optar pela troca da câmara, enchendo-a com uma bomba de CO2. Em uma competição, a opção é a mesma.

Mas se o seu pneu furar em um local seguro e você não tiver pressa para executar o reparo (o famoso “remendo”) na câmara, esta pode ser a opção mais em conta porque você vai continuar usando a mesma câmara. Porém, o ideal é sempre que possível trocar a câmara, mesmo que posteriormente, uma vez que a área remendada quase sempre terá mais facilidade de se romper futuramente.

O ideal também é que sua bicicleta tenha as blocagens das rodas do tipo “quick release” (soltagem rápida), que custam barato e facilitam na hora de sacar a roda. O “quick release” ajuda também se você transporta sua bicicleta dentro de um automóvel e precisa tirar a roda dianteira para fechar o porta-malas. Se sua bicicleta não possui este sistema de blocagens, é um investimento que vale muito a pena!


Sistema de blocagem “quick release”

Trocando a câmara da bicicleta

1-) Se sua bicicleta tiver marchas, é necessário trocá-las para a seguinte posição (principalmente se o furo ocorreu na roda traseira):

- coroa dianteira menor (marcha mais leve, menor)
- catraca traseira menor (marcha mais pesada, maior)

Fazemos isto para retirar a tensão sobre a corrente da bicicleta, o que facilita o manuseio da roda traseira.

2-) Depois devemos desarmar o freio da roda envolvida.

Neste tutorial, utilizamos um sistema de freios do tipo “v-brake”, mais comum de se encontrar. Se sua bicicleta tiver freios do tipo cantilever, o desarme é muito parecido. Se for freio a disco, o desarme varia conforme o sistema: mecânico (mais simples e comum), ou hidráulico (mais complicado de manusear). Se este for seu caso, deixe seus comentários no post que responderemos posteriormente.

3-) Sacar a roda, soltando a blocagem, tomando cuidado para não desalinhá-la. Para não desalinhar a roda, basta observar que o pneu deve estar posicionado bem no centro do garfo durante a operação posterior de travamento do “quick release” (ou blocagem). Ao montar novamente a roda, gire-a observando se esta flui normalmente. Se ela estiver “pegando no freio”, solte-a e repita a operação novamente, até não encontrar mais problemas.

4-) Desmontar o pneu com as espátulas apropriadas, conforme a sequência abaixo:

5-) Retirar a câmara afetada, examinando-a para ver onde ocorreu o furo. Examine também o pneu, interna e externamente. Tal exame é importantíssimo, na medida em que o agente causador do furo (ex.: pedaços de vidro) ainda pode estar alojado no pneu e certamente vai furar a novamente a câmara. Inicie a retirada da câmara pela válvula, conforme indicado abaixo:

6-) Pegue a câmara nova e encha-a ligeiramente, para que ela “molde” melhor no pneu ao ser colocada, evitando assim que a mesma fique dobrada no interior do pneu, o que causará a deformação do mesmo.

7-) Posicione a câmara no pneu conforme a foto abaixo:

8-) Inicie a inserção da câmara no interior do pneu, começando pela válvula:

9-) Você pode usar as espátulas para inserir a câmara

10-) Remonte o pneu no aro

11-) Encha o pneu, procurando respeitar a medida impressa na lateral do mesmo, conforme explicado neste post

12-) Finalize remontando a roda em sua posição original, lembrando de armar novamente o freio.

Veja no vídeo como a troca de câmara é feita:

Desmontando a roda traseira

1-) Se sua bicicleta tiver marchas, troque-as para a seguinte posição:

- coroa dianteira menor (marcha mais leve, menor)
- catraca traseira menor (marcha mais pesada, maior)

2-) Desarme o freio traseiro, solte a blocagem e “empurre” a roda para frente e para baixo, sacando-a do quadro conforme a sequência abaixo:

3-) Realize os procedimentos explicados sobre a troca de câmara acima

4-) Coloque a roda novamente, inserindo a corrente inicialmente na catraca menor, posicionando-a no quadro, conforme as fotos abaixo (aqui vale a mesma dica para as blocagens comentada acima no post, com relação a centralização da roda)

Veja no vídeo como desmontar a roda traseira:

É isto! Esperamos que vocês tenham que executar estes procedimentos o mínimo possível! Na próxima semana, ensinaremos como reparar uma câmara.

Bicicleta usada no tutorial: Houston Mercury HT
Oficina: Biketime
Mecânico: José Maria


Postado em 9 de janeiro por Eu Vou de Bike

Tags:, ,

Por uma vida mais feliz e intensa em 2017

Mais um ano se passou, e ao longo de 2016 nós pedalamos muito ao lado dos amigos, familiares e conhecidos. Sobre a bicicleta, fizemos muitas amizades, conhecemos novas culturas e novas opiniões. Com a bicicleta, mudamos de vida.

E é por isso que vamos continuar pedalando em 2017. E convidamos você a pedalar cada dia mais, transformando a bicicleta em uma ferramenta essencial para uma vida melhor e mais saudável!

O vídeo abaixo já foi publicado aqui no Eu Vou de Bike, mas é sempre bom revê-lo porque é uma ótima mensagem para iniciar um novo ano.

Batizado de Holstee Manifesto, o vídeo é um chamado para uma vida mais criativa, cheia de paixões e boas intenções. “Enquanto procuramos viver em um estilo de vida que deixa impactos positivos nas pessoas e no mundo ao nosso redor, a bicicleta se tornou uma paixão que é muito mais que uma alternativa de transporte. É uma maneira de viver intensamente todos os detalhes da cidade que amamos”.

Feliz 2013 é o que deseja a equipe do site Eu Vou de Bike!


Postado em 8 de dezembro por Eu Vou de Bike

Tags:, , , ,

Cuidado com a bicicleta no topo do carro !

Uma das maneiras mais seguras de transportar a bicicleta no carro é em um bagageiro no topo do veículo. Mas isso não quer dizer que acidentes não podem ocorrer.

É sempre bom ficar esperto para que não aconteça o que pode ser visto abaixo. Ou seja, cuidado com a altura dos portões, viadutos e pontes quando a bicicleta estiver sobre o carro! :)

Segundo a normatização do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), o melhor modo de transportar sua bicicleta sobre quatro rodas é por meio da canaleta instalada sobre o carro.

Outro modo muito usado pelos ciclistas, o rack na traseira dos veículos, pode prejudicar a visão do motorista, obstruir a identificação da placa do carro e ainda exceder a largura do carro. Além disso, levar a bicicleta dentro do veículo pode ser bem perigoso. Saiba mais aqui!


Postado em 19 de outubro por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

A cidade fica mais colorida com bicicletas

Muito linda a animação criada para promover a exposição intinerante ‘Por Mi Ciudad En Bicicleta’. No vídeo de apenas um minuto, vemos que a cidade fica muito mais colorida quando deixamos o carro e usamos a bicicleta.

Assista abaixo:

A mostra ‘Por Mi Ciudad En Bicicleta‘ foi organizada no México e já passou por várias cidades do país. Ela é uma exposição fotográfica itinerante que vai adicionando fotos de ciclistas urbanos conforme as cidades vão sendo percorridas.

Além das fotos, a exposição também apresenta depoimentos de ciclistas urbanos e pessoas que usam a bicicleta como meio de transporte nos mais variados centros urbanos. Ótima iniciativa!

Apesar de estarem inativos desde 2015, a espera de renovação de apoiadores, decidimos relembrar este post para colorir nossas ruas em tempos tão difíceis…

>> Saiba mais sobre o ‘Por Mi Ciudad En Bicicleta

 


Postado em 6 de outubro por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

A alegria de uma criança na bicicleta

Aproveitamos que estamos nos aproximando da semana do Dia das Crianças para trazer um vídeo que mostra exatamente o que significa a bicicleta para uma criança.

O  vídeo traz imagens gravadas por uma câmera no capacete do jovem Malcolm, de apenas quatro anos, em uma descida de mountain bike. Malcom segue seu pai pelo percurso e é possível ouvir sua alegria ao passar pelos obstáculos.

Uma ótima maneira de passar um domingo com o filho, não é? Assista ao vídeo abaixo!

Ficou inspirado e quer dar uma bicicleta para seu pequeno no Dia das Crianças? Então veja algumas dicas aqui neste post para que a experiência do aspirante a ciclista seja inesquecível!

- Via TreeHugger


Postado em 17 de agosto por Eu Vou de Bike

Tags:, , ,

Uma animação em homenagem a bicicleta

Para encerrar a semana de forma poética, nada melhor do que a animação criada por Luis Paris.

Segundo o autor, o vídeo é “uma homenagem a minha bicicleta, uma testemunha dos caminhos percorridos por meus tios, meu pai e meu avô”.

Assista ao vídeo abaixo, com trilha sonora de Dino Saluzzi:


Postado em 7 de julho por Eu Vou de Bike

Tags:, , , , ,

Por uma vida mais feliz e mais intensa

Nada melhor do que terminar a semana com um incentivo a mais para pedalar. Apesar de meio antigo, o vídeo abaixo é um dos mais belos que já publicamos aqui no Eu Vou de Bike e certamente vai te dar aquele empurrãozinho que faltava para pegar a bicicleta e sair explorando a cidade por aí!

Batizado de Holstee Manifesto, o vídeo é um chamado para uma vida mais criativa, cheia de paixões e boas intenções. Segundo a descrição do vídeo no YouTube:

“Enquanto procuramos viver em um estilo de vida que deixa impactos positivos nas pessoas e no mundo ao nosso redor, a bicicleta se tornou uma paixão que é muito mais que uma alternativa de transporte. É uma maneira de viver intensamente todos os detalhes da cidade que amamos”.



Próxima